Siga-nos

Perfil

Expresso

Uma outra voz da América

Quando ela morreu, o poeta Dan Berrigan fez talvez o melhor retrato que temos de Dorothy Day: “Dorothy Day vivia como se a verdade fosse realmente verdade.” Ela morreu e nasceu no mês de novembro (29 de novembro de 1980 e 8 de novembro de 1897), em quarteirões diferentes da mesma cidade de Nova Iorque. Gostava da música de Wagner (sobretudo de “Tristão e Isolda”).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)