Siga-nos

Perfil

Expresso

A cidade das musas

  • 333

O mito de Orfeu, a poesia trovadoresca, Petrarca, Hölderlin, o “Werther” de Goethe, os românticos alemães, a “Nadja” de Breton ou os “Fragmentos de um Discurso Amoroso” de Barthes. É essa a família a que pertence “Na Cidade de Sylvia” (2007), do catalão José Luis Guerín. Bem como à austeridade de Bresson, às raparigas de Rohmer, à poesia citadina de Murnau ou à “escopofilia” de Hitchcock: o gosto maníaco da observação, espécie de voyeurismo sofisticado.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)