Siga-nos

Perfil

Expresso

Teorias

  • 333

De entre aquilo que mais gosto em Roland Barthes, nascido fez agora um século, está a contradição. Admiro a sua inteligência, a sua finura, a sua elegância, os seus exemplos, os seus parêntesis, a sua melancolia hedonista; mas que um espírito tão eminentemente teórico tenha tornado tão pouco teórica a teoria, isso acho assombroso.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI