Siga-nos

Perfil

Expresso

Salvos pelo cinismo?

Primeiro foi o BPN, mas como era um banco nascido debaixo de suspeição política, não nos preocupámos; depois foi o BPP, mas como era um negócio à medida de milionários, até deu asas a algum ressentimento social; entretanto, um primeiro-ministro viveu sob suspeitas permanentes de corrupção, acabando por ser detido e indiciado; pelo caminho, ruiu a PT, bandeira da internacionalização, por força de erros estratégicos imperdoáveis e gestão danosa; quase ao mesmo tempo, o maior banco privado, e epicentro de todo o poder, desmoronava-se, arrastado por um grupo económico gerido à boleia de favores. Talvez o melhor seja mesmo não apurar exatamente quanto é que tudo isto custará ao bolso do contribuinte, que vive do seu salário e da sua pensão, quase sempre abaixo das suas possibilidades.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)