Siga-nos

Perfil

Expresso

O que é nacional é mau?

  • 333

Podemos bem estar a assistir a um movimento que colocará fim a um sistema financeiro de base nacional, com músculo suficiente para garantir a nossa soberania económica (logo política)

As explicações para o que se tem passado no sistema financeiro português assentam numa combinação intrincada de comportamentos desviantes de banqueiros, risco moral, falhas graves de regulação e facilitismo na concessão de crédito. Pelo caminho, as crises de 2008 das dívidas soberanas arrastaram o rating da República e encarregaram-se de pôr a nu os problemas endémicos da economia portuguesa. Podia ter sido diferente? Não só podia como devia. De tal forma que, hoje, uma parte importante da crise de legitimidade do regime é consequência da obrigação de salvar bancos com dinheiros públicos, ao mesmo tempo que a austeridade vai tomando conta do Estado social.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI