Siga-nos

Perfil

Expresso

O essencial e o marginal

Já se ouviram todos ou quase todos os especialistas, já se fizeram todas as perguntas, já se levantaram todas as questões e, embora não haja ainda respostas, já foram ensaiadas várias desculpas. Não temos, para já, certezas algumas: é cedo demais, como todos dizem, mas não sei se não será sempre cedo demais. Como de costume. Mas não me parece muito arriscado dizer, como disse logo o jornal “Público”: “O que falhou? Falhou tudo, como sempre falha”.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)