Siga-nos

Perfil

Expresso

Christmas cards

Nos estudos de opinião, os portugueses são dos povos que mais acham que o seu país é corrupto. Não é verdade, mas é uma ideia feita, que nada conseguirá contrariar, nem sequer a comparação com os países verdadeira e estruturalmente corruptos, onde toda a gente é corruptível, do polícia de giro ao Presidente. Para esta crença contribui em muito uma ideia pouco clara do que seja corrupção, bem como a noção instalada de que a corrupção envolve sempre necessariamente políticos ou árbitros de futebol, poupando todos os outros agentes a tão vergonhosa classificação. Para o primeiro engano — a percepção errada do que seja corrupção — muito tem ajudado a própria entidade a quem compete a acção penal, o Ministério Público, que tem um cardápio pronto a usar de cada vez que estão em causa suspeitas de crimes de natureza económica e no qual entram sempre, obrigatoriamente, os crimes de corrupção e fraude fiscal. Isto está de tal forma entranhado que a opinião pública acha que, se não aparecer nas suspeitas a palavra corrupção, é quase como se não houvesse crime.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)