Siga-nos

Perfil

Expresso

Do táxi ao caterpillar

  • 333

Vamos conceder (“Ça favorise et ça trompe les historiens”, como cantava Léo Ferré): os energúmenos que vimos à frente da manifestação dos taxistas não os representam. Se bem que não tenhamos visto nenhum dos outros e, em especial, os seus tristes dirigentes demarcar-se ou condenar aqueles arruaceiros. Mas vamos conceder e pensar, por exemplo, que só por má avaliação táctica é que o PCP destacou um seu dirigente para passar o dia inteiro a acompanhar a arruaça e declarar-se solidário com aquilo, lado a lado com os rapazes dos No Name Boys e outros sujeitos igualmente pouco recomendáveis. É verdade que alguns dos taxistas que nos costumam massacrar com as suas ideias políticas são comunistas, mas os demais o que são é salazaristas e salazarentos e, acima de tudo, gente com um profundo desprezo e ódio à democracia. O PCP devia evitar certas companhias.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)