Siga-nos

Perfil

Expresso

A queda olímpica

  • 333

2016 prometeu ser o ano da coroação política do Brasil. Os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro deviam celebrar a transformação do país em termos económicos e políticos. E também deviam provar que Brasília tinha finalmente os recursos, a estabilidade interna e o talento necessário para desempenhar um papel importante num mundo multipolar. Em vez disto estamos a assistir ao final da presidência de Dilma Rousseff. Independentemente do que aconteça amanhã na Câmara dos Deputados em Brasília, Dilma transformou-se num fantasma político. A maioria dos brasileiros apoia a sua destituição.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso)