Siga-nos

Perfil

Expresso

A Santíssima Trindade

No século XIX, os portugueses admiravam os “bacharéis” de Coimbra. Mais tarde, era imperativo ser-se “dr.” e, após o 25 de Abril, passou a exigir-se a quem desejava ser importante o título de “doutor”. Só assim se compreendem as peripécias que rodearam a carreira de José Sócrates. Em Março de 2007, já primeiro-ministro, a sua licenciatura pela Universidade Independente foi posta em causa. Se na academia tudo era uma trapalhada, na política a coisa fiava mais fino. Em 2011, à beira do abismo financeiro, Sócrates foi obrigado a deixar o poder, optando por ir viver luxuosamente em Paris, a fim de frequentar Sciences Po. Pouco depois, afirmava ter obtido o grau de mestre e, a 20 de Março de 2013, estar inscrito num doutoramento. Infelizmente para ele, o que veio foi a prisão.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)