Siga-nos

Perfil

Expresso

Manuela Ferreira Leite

O país endividado

De acordo com os últimos dados do Banco de Portugal, o crédito malparado das famílias está a crescer a uma taxa que não se verificava desde 2003 e o ritmo de crescimento do incumprimento das empresas é o mais elevado de sempre.

De sublinhar ainda, de modo particular, que a dívida de Portugal ao estrangeiro deverá atingir em 2008 os 100% do PIB.

Tudo isto são sinais de alarme de uma situação financeira que, na prática, é insustentável.

Na verdade, está-se perante um país que cresce à custa do crédito, em vez de crescer de forma mais proporcional ao que produz.

Nessa medida, está a ficar 'hipotecado'.

Ora, não há forma de corrigir este desequilíbrio a não ser pela restrição à concessão de crédito com o consequente agravamento dos respectivos encargos.

Qualquer destas consequências implica um desincentivo ao crescimento económico.

Por isso, qualquer política de investimentos que ignore estes condicionalismos e continue em grande parte a ser suportada por recurso ao crédito, não pode trazer nada de bom.