Siga-nos

Perfil

Expresso

O morto 
orgulhoso

Matou-o uma mesinha-de-cabeceira. A trivialidade de um facto destes põe-nos um esgar cínico nos lábios. Deixamos de querer a mesinha-de-cabeceira na nossa vida. Imagino que perguntem se o fulano que é assassinado por uma solitária mesinha-de-cabeceira teria alguém que o amasse na vida. Tinha. Billy Wilder ia almoçar com ele muitas vezes. A Santa Monica, onde morava essa mesinha-de-cabeceira, ou, metendo-se num monótono espada americano, a Palm Springs.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)