Siga-nos

Perfil

Expresso

A semana

A semana, por Martim Silva

Martim Silva (www.expresso.pt)

Eyjafjallajokull

Milhões de pessoas em terra, milhares de voos cancelados, milhões em prejuízos, empresas do outro lado do mundo que fecham, o caos durante vários dias. Este o resultado da erupção do vulcão na Islândia que libertou uma nuvem de cinzas pela Europa. Estima-se que a suspensão dos voos terá representado um prejuízo de cerca de 1,26 mil milhões de euros às companhias aéreas. Por cá, a TAP cancelou mais de 300 voos, deixou em terra 75 mil passageiros, e teve perdas superiores a 10 milhões de euros.

Bancarrota

Cavaco disse que o país está longe de chegar a esse ponto, numa daquelas declarações que nos põem os cabelos em pé em vez de nos acalmar. Lá fora, aumenta a pressão sobre a nossa economia. Esta semana, foram economistas, manchetes de jornais, o FMI. O mundo está contra nós. Mas a culpa é capaz de ser nossa.

Inquérito

Com uma comissão de inquérito a chegar ao fim, a do 'Magalhães', e outra à espera de começar, a dos submarinos, arrancou finalmente em força o inquérito parlamentar ao negócio (falhado) da compra da TVI pela PT, com o Estado e o Governo pelo meio. Uma primeira semana marcada pelos incidentes e guerras processuais e pelo silêncio de Rui Pedro Soares, peça-chave no caso, que usou a AR para pedir desculpa a Sócrates.

Corrupção

A Relação contraria a decisão de primeira instância e iliba Domingos Névoa por tentar corromper o vereador José Sá Fernandes.

MP/PJ

Não há semana em que não se fale no mal-estar entre polícias e magistrados (que, convém não esquecer, só prejudica as investigações). O PGR volta a marcar uma reunião para resolver as querelas. Mas isto já não vai lá nem com murros na mesa.

Viagens

Não é seguramente o nosso maior mal. Mas a forma como o Parlamento resolveu o problema de uma deputada que representa os lisboetas mas mora em Paris é lamentável. E os sinais que se dão também contam.

Sporting

Era difícil contratar um treinador que gerasse expectativas tão baixas. Isso é mau porque as expectativas são baixas por alguma razão. É bom porque assim só se pode melhorar. Paulo Sérgio chega a um grande. Aguentar-se-á?

A ganância não acabou

Sobre o colapso financeiro de 2008 foram impressas toneladas de caracteres. O Goldman Sachs, um dos maiores bancos do mundo, duplicou este trimestre os seus lucros (2,6 mil milhões de euros). Graças, entre outros, a investimento em dívida. Onde é que nós já vimos isto? E até já sabemos o resultado.

De como não fazer leis

O novo Código de Execução de Penas foi debatido, discutido, criticado, etc. Dez dias depois de entrar em vigor o diploma do Governo, o Governo veio anunciar... a sua alteração. Quem o fez foi o secretário de Estado João Correia. O novo Código facilita a libertação de reclusos antes de concluída a pena. Pior que legislar muito ou mal só mesmo andar aos ziguezagues.

Texto publicado na edição do Expresso de 24 de Abril de 2010