Siga-nos

Perfil

Expresso

Stephen Hawking (1942 - 2018)

Stephen William Hawking, que morreu serenamente na sua casa de Cambridge na madrugada da passada quarta-feira — fãs seus declararam logo que estávamos no dia da letra grega Pi (3,14), aproveitando também para recordar o seu nascimento, trezentos anos certos depois da morte de Galileu, que tirara definitivamente a Terra do centro do universo — tornou-se certamente, a seguir a Einstein, o cientista mais famoso do mundo com a publicação, em 1988, de “Breve História do Tempo — do Big Bang aos Buracos Negros”, de que se venderam quase 10 milhões de exemplares em mais de 50 línguas e tem sido às vezes descrito como o livro que mais gente pretendeu ler sem, na realidade, ter passado das primeiras páginas — ou como o livro que mais gente leu a fingir que compreendia.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)