Siga-nos

Perfil

Expresso

Billy Graham (1918 - 2018)

William Franklin Graham Jr., Billy Frank para família e amigos quando era rapaz, e Billy Graham para a eternidade e, entretanto, para os milhões de homens, mulheres e crianças que o ouviram pregar nos Estados Unidos e fora deles — com a possível excepção do Papa João Paulo II, nunca, na história da humanidade, alguém falou a tanta gente de Jesus Cristo —que morreu serenamente, aos cem anos incompletos, na sua casa de Montreat, Carolina do Norte, ao Norte do Sul dos Estados Unidos, no passado dia 21 de Fevereiro, foi um pregador evangélico que personificou, muito para lá do que qualquer outro (e houve muitos), o recrudescimento do protestantismo cristão acontecido na América depois da Segunda Guerra Mundial, as multidões convictas que se formavam, sobretudo a partir dos anos cinquenta e até ao fim da primeira década do século XXI. (Hoje, os números são muito mais pequenos e misturados com os do populismo político).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)