Siga-nos

Perfil

Expresso

O euro e o melhor défice?

Felicito Mário Centeno pelo ‘milagre’ de um défice público entre 2,1 e 2,3% do PIB em 2016 num contexto de crescimento anémico (apenas 1,4%, bem abaixo do previsto 2,4% pelo PS no Excel eleitoral...) e das pressões sobre a despesa pública! Tal deve-se às receitas extraordinárias do perdão fiscal, ao aumento das receitas dos impostos indiretos, às cativações de verbas nos serviços públicos, ao adiamento de despesas para o ano seguinte, à travagem do investimento público e à redução do desemprego.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)