Siga-nos

Perfil

Expresso

Suicidas pragmáticos

Matteo Renzi sentenciou o suicídio do Labour de Jeremy Corbyn: “Não estamos a falar de ser um blairista ou um antiblairista, mas de decidir se nos chega participar ou se queremos ganhar.” Três anos depois, Corbyn é um forte candidato a liderar o Reino Unido e Renzzi juntou o Partido Democrático italiano à lista de doentes terminais no centro-esquerda. Claro que há razões italianas para a vitória do 5 Estrelas e para a transformação da Liga em líder da direita: um sistema partidário desestruturado, as diferenças entre o Norte e o Sul, meio milhão de refugiados e os efeitos da crise financeira. Mas o padrão europeu confirma-se: crescimento de partidos xenófobos ou movimentos oportunistas e afundanço do centro-esquerda. Isto explica-se com uma palavra:

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)