Siga-nos

Perfil

Expresso

Autoridade 
e disciplina

  • 333

O subdiretor do Colégio Militar explicou que os alunos que manifestassem de forma pública a sua homossexualidade eram afastados na instituição. Claro que não disse que os expulsava. Apenas não eram aceites pelos seus pares e por isso não havia lugar para eles. Deixava que fossem os alunos a impor as regras de admissão, prescindindo o colégio da sua função formadora. Cumprindo o seu dever, o ministro da Defesa pediu esclarecimentos e medidas. O que fora descrito violava o artigo 13º da Constituição que as Forças Armadas juram defender. E não há offshores legais no Estado, onde os menores impõem a lei enquanto os adultos cruzam os braços.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso)