Siga-nos

Perfil

Expresso

Daniel Bessa

A 'avareza' alemã

Daniel Bessa (www.expresso.pt)

O tema tornou-se recorrente na imprensa internacional, e na portuguesa. Os países do Sul da Europa gastam mais do que o que produzem, gerando défices nas suas contas externas. Alega-se, agora, que a culpa pode ser da Alemanha: se a Alemanha gastasse e importasse mais, os países do Sul da Europa poderiam produzir e exportar mais, melhorando as suas contas externas.

O argumento vale tanto para a Alemanha, a nível da UE ou da área do euro, como para a China, a nível global. Faz sentido e é politicamente correcto: países como a Alemanha, e a China, têm de fazer parte da solução, de que não podem alhear-se. Para um país como Portugal, pode tornar-se perigoso.

A Alemanha tem nas suas contas externas um excedente de 6% do seu PIB. Números redondos, o PIB alemão é 25% do PIB da área do euro. Se a Alemanha equilibrasse as suas contas, cada um dos outros países, em média, veria o seu défice reduzido em 2% do seu PIB. Problema é que, sempre em percentagem do PIB, o défice de Espanha ascende a 8%, o de Portugal a 10%, o da Grécia a 14%.

Se a Alemanha equilibrasse as suas contas externas, o nosso défice externo passaria de 10% a 8% do PIB; não é isso que vai resolver o nosso problema. Continuar a insistir na 'avareza' alemã, em Portugal, é uma perda de tempo e, pior, uma perda de foco.

Texto publicado na edição do Expresso de 10 de Abril de 2010