Siga-nos

Perfil

Expresso

O dia em que o governador se ofendeu

No mesmo dia em que se soube que o Estado britânico já recuperou 84% do dinheiro que investiu no Lloyds Bank para o salvar da falência durante a crise financeira iniciada em 2008; no mesmo dia em que o diretor-geral da COTEC, Pedro Portugal, disse que “a banca tem de se regenerar para cumprir o seu papel estratégico, que é conceder crédito para investimento à economia real”; e três dias depois de a Comissão Europeia ter criticado o Banco de Portugal pela sua atuação durante a crise, o governador Carlos Costa disse, por uma vez, duas frases percetíveis para qualquer pessoa: “Os que dizem que [o ajustamento] foi um fracasso não sabem seguramente do que falam”; e “é uma ofensa a quem fez o programa de ajustamento e uma ofensa ao Banco de Portugal”.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)