Siga-nos

Perfil

Expresso

Calma, não é o fim do mundo

  • 333

Ainda não é o fim nem o princípio do mundo. Calma, é apenas um pouco tarde”. Peço emprestadas a Manuel António Pina as palavras com que em 1974 se iniciou brilhantemente na poesia porque elas se aplicam exemplarmente à situação política e económica que o país começou a viver desde 26 de novembro. É tarde porque para chegarmos aqui passou demasiado tempo. E não é o fim nem o princípio do mundo porque o país não começa nem termina agora.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI