Siga-nos

Perfil

Expresso

Comendador Marques de Correia - Cartas Abertas

O tom político como forma de avaliação e um caso de estudo sobre uma tonalidade

Onde o nosso Comendador se digna partilhar, o que reconhecidamente agradecemos, os seus mais recentes estudos sobre a tonalidade na comunicação política e as suas implicações futuras.

Comendador Marques de Correia (www.expresso.pt)

Uma contribuição modesta para a política, dada pelos meus profundos e prolongados estudos, resulta da avaliação da tonalidade do discurso de cada ator do espaço público. Se não entenderam bem o que quis dizer com isto, não se preocupem - com o decorrer dos exemplos irão captar claramente a mensagem. Antes desses exemplos devo dizer que a política não pode, nem deve, ser atonal. José Sócrates tinha um tom desafiante; António José Seguro tem um tom pausado - eis como se explica a velha divergência entre os dois e o tempo que o PS ainda vai demorar a, pausadamente, chegar ao poder.

Escolha uma das opções para ler o artigo inteiro