Siga-nos

Perfil

Expresso

O que fazer com menos duas horas de vida ou o paradoxo da Marateca e da ponte 25 DE Abril

  • 333

Muitos leitores, talvez demasiados, me interrogaram se as horas que passamos na bicha (perdão, na fila) estão perdidas para sempre

Oh, que desgraça! Como quase toda a gente das classes altas que dantes passava as férias nas Caraíbas, nas Maldivas ou mesmo nas Canárias, também eu nos últimos anos fui obrigado a passar as ditas no Algarve. Logo em 2011 e nos anos subsequentes em que o Passos prometeu empobrecimento generalizado a coisa não foi má.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)