Siga-nos

Perfil

Expresso

Metamorfoses

Como escreveu o poeta em “Pedra Filosofal”, “o mundo pula e avança”. Mais perto, porém, parecemos estar da “obra ao negro” — fase primeira, sombria e saturnina da alquimia — do que da luz que resultará no final da transmutação da matéria em ouro. Fazendo um parênteses em António Gedeão, nascido Rómulo de Carvalho, em 1906, para dar lugar a Marguerite Yourcenar, nascida Marguerite Crayencour, em 1903, “obra ao negro”, além de fase alquímica e título da grande obra da romancista belga, é também a tradução literal da expressão oeuvre au noir que, na gíria, significa “trabalho clandestino”.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)