Siga-nos

Perfil

Expresso

Uma ida ao teatro

  • 333

Nenhum de nós estava vivo aquando da I República e só podemos especular. As vozes embargadas, os requebros argumentativos, os nós no peito. A república rasgava as vestes, marcavam-se duelos, choviam bengaladas. Tudo tinha carácter de urgência, o comboio da História a partir e o país pequeno, atrasado e analfabeto a não querer perder o balanço. Esgrimiam-se razões apaixonadamente. Entusiasticamente. Inflamadamente. As ideias borbulhavam, esguichavam, tombavam como maná. Muitas vinham do estrangeiro. Tempos férteis e fartos em ideias, algumas estéreis, quase todas encaradas como uma questão de vida ou de morte.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI