Siga-nos

Perfil

Expresso

José Gameiro

José Gameiro

José Gameiro

Psiquiatra e piloto

Um dia tão bonito

  • 333

Estávamos no verão de São Martinho, feliz interregno na sucessão de dias cinzentos e chuvosos iniciados em finais de setembro. Tudo parecia correr bem na nossa relação conjugal, ou melhor, matrimonial, bem mais forte que uma simples conjugalidade. Já com mais de 20 anos de vida em comum, os acordos tácitos eram cada vez mais claros; ela ia ao supermercado, cozinhava as refeições, geria a intendência da casa; eu lavava o carro, ia à oficina fazer as revisões, fazia pequenas reparações domésticas — cada vez mais eficientes —, punha e levantava a mesa. Não tínhamos exigências um para o outro, não vivíamos, como tantos casais, lutas diárias, com remoques azedos sobre quem fazia mais. Não me recordo de alguma vez as palavras machismo e feminismo terem entrado lá em casa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI