Siga-nos

Perfil

Expresso

'Pa'lante!'

Stephin Merritt não terá mais razões para se inquietar. Porque, ao contrário do que canta em ‘They’re Killing Children Over There’ (de “50 Song Memoir”) — “Now that everyone is fat and complacent, I haven’t heard a protest in years” —, a música popular norte-americana acaba de gerar o primeiro grande álbum pós-Trump de canções explicitamente políticas. Dirijam-se, então, os aplausos para Alynda Segarra (ou, se preferirem o nom de plume, Hurray for the Riff Raff), singer-songwriter do South Bronx nova-iorquino, de ascendência porto-riquenha, que, aos 17 anos, na ressaca de uma adolescência punk no Lower East Side, sonhou ser Woody Guthrie.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)