Siga-nos

Perfil

Expresso

Apelo às armas

Em 2002, 26 anos após a morte de Ulrike Meinhof — fundadora, com Andreas Baader, da Rote Armee Fraktion (Fração do Exército Vermelho), grupo alemão de guerrilha urbana, ativo de 1970 a 1998 —, a filha, Bettina Röhl, descobriu que, após o alegado suicídio de Ulrike na cadeia de Stammheim, em 1976, o cérebro da mãe havia sido removido do crânio na sequência da autópsia realizada pelo neurocirurgião Jürgen Pfeiffer, com o objetivo de investigar se uma anterior cirurgia poderia ter determinado alterações de personalidade e correspondente inimputabilidade.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)