Siga-nos

Perfil

Expresso

O embaraço

As boas almas podem já dormir descansadas: Bob Dylan aceitou o Nobel da Literatura e disse todas as frases recomendáveis na circunstância (“Fiquei sem palavras...”, “Quem sonharia com tal coisa?”... “Incrível”... “Foi uma grande honra...”). Quinze dias depois, mas disse. Não, claro (livrasse-se de não o fazer!), sem evitar puxar o lustro aos galões: “É verdade, algumas das minhas canções — ‘Blind Willie McTell’, ‘Ballad of Hollis Brown’, ‘Joey’, ‘A Hard Rain’, ‘Hurricane’ e mais algumas — possuem, definitivamente, um valor Homérico” (com ‘h’ maiúsculo e tudo). E prometeu que, “se for possível” — que a vida dele não é isto —, irá a Oslo, a 10 de dezembro para receber o prémio.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)