Siga-nos

Perfil

Expresso

Um ditador é um ditador

Não se pode dizer que a morte de Fidel Castro fosse um acontecimento inesperado. As redações tinham a notícia preparada desde há anos. Um articulista do “Washington Post” responsável por um desses textos terá mesmo falecido uma década antes de o obituário do líder cubano ver a luz do dia. Talvez por não ser uma surpresa, a agitação gerou-se em torno do tratamento dado a Castro e se na hora da sua morte seria próprio sublinhar o seu papel de ditador.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)