Siga-nos

Perfil

Expresso

A lição de Bruxelas

  • 333

A tentação de olhar para os atos terroristas de Bruxelas como uma luta entre cruzados e sarracenos, o bem e o mal, ou mesmo entre esquerda e direita, tem tudo para dar errado. A história aconselha alguma prudência e não se vislumbram no passado exemplos em que a luta contra os radicalismos totalitários tenha conseguido resultados deitando mão a outros totalitarismos.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI