Siga-nos

Perfil

Expresso

Requiem pelo Tejo

  • 333

Um grupo de cidadãos veio expor na Comissão Parlamentar de Ambiente, Território e Poder Local a sua enorme preocupação com a poluição do Tejo. O facto soa estranhamente anacrónico. Primeiro, porque os contornos do problema são impróprios do século XXI e da Europa. Segundo, porque o Tejo é uma chave da Península Ibérica e, como tal, objeto de tratados, convénios e comissões. A condição do rio devia, assim, ser segura por regra. Porque têm então as organizações de cidadãos de vir manifestar a sua revolta à Assembleia da República?

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI