Siga-nos

Perfil

Expresso

Luis Pedro Nunes

Xixi no banho

Circunscrita e em abstracto, a ideia é defensável. Olhada ao detalhe é absurda e parva.

Luis Pedro Nunes

Há dois meses que uma ONG brasileira tem uma cobertura mediática global por ter lançado uma campanha televisiva que dá nas vistas, que é de gosto duvidoso, e que tem uma musiquinha infantil irritante e uma letra perturbadora: faça xixi no banho. A ideia é que quando estamos no chuveiro, crianças e adultos, devemos aproveitar para "actuar imediatamente" - tal como sempre defendem os ecologistas - poupando milhares litros de água de autoclismo.

Dado que estamos a poucas semanas da decisiva cimeira climática das Nações Unidas, em Copenhaga, é caso para questionar, tendo este caso em mente, se não há uma deslocalização das preocupações ambientalistas para radicalismos a montante estando a desistir de encontrar soluções inovadoras a jusante? Noutras palavras: até aceito fazer xixi no banho se for o único do meu círculo de conhecidos e ninguém souber. Agora, todos?

Alegam os responsáveis da campanha que ao aproveitar para fazer o xixi no banho se poupa uma descarga de autoclismo por dia, o equivalente a 12 litros de água o que ao fim do ano são mais de 4300 litros. Mas que raio de prioridades. Não é altura de trazermos a indústria de louça e tecnologia sanitária da margem das alterações climáticas para o centro de discussão? Vamos deixar os construtores de autoclismo fora de Copenhaga? Estive a analisar o assunto e mesmo não sendo canalizador parece-me que ainda há bastante a fazer no campo da ergonomia da sanita devidamente conjugada com a dinâmica dos fluidos, num melhor aproveitamento entre a possibilidade de ter vários níveis de descarga de água e o esvair no sifão. Não se pode deitar assim a toalha ao chão.

Há quem imagine que este virar do xixi para o lado do mainstream é apenas mais uma manobra dos "neo new ages" defensores das urinoterapias que consistem nisso mesmo: beber pela manhã a dita, em diferentes quantidades ou métodos, a coberto de tradições chinesas, indianas, interpretações bíblicas ou de lenhador eremita louco. A urina é vista como um elixir para deter a idade, uma panaceia para curar problemas infecciosos, insónias, parasitoses, cancro, sida, problemas de pele, mordidelas de cobra, para impulsionar o vigor sexual e a força física, entre outras... Mas, como alguém sensato já fez notar, o incrível é como é que a Medicina se desenvolveu quando afinal tínhamos a solução para tantos males ali mesmo à mão em quantidades consideráveis. Não só o homem tornaria o vinho em urina mas depois esta se transformaria num tónico curativo, o que faria de nós seres verdadeiramente mágicos.

E, no entanto, dirão que estou a misturar temas e que não há mal nenhum que se faça um pipi no banho. Aliás, os responsáveis da campanha até garantem que a maioria já o faz. E há celebridades a apoiar esta ideia peregrina. O que nos segredou o cão de Pavlov sobre este tema é que quem começa a fazer no chuveiro acaba a fazer no oceano, em piscinas ou tanques e se calhar quando sonha com chuva. Há assim que não embarcar nestas questões de modo acrítico. Promover a tese que o homem deve reiniciar o ciclo ou tenha intimidade com os tóxicos que o seu organismo quer eliminar continua a ser uma má ideia. Usar a sanita é ainda uma boa ideia (não esquecer de levantar o tampo). Dar às crianças a imagem de que uma piscina é um urinário é uma péssima ideia. É portanto de temer que estas campanhas do xixi no banho acabem por ser contraproducentes e criem uma geração de mijões descontrolados que começam no duche e vão por aí fora, à maluca.

E espero que quando os grandes do mundo em Copenhaga estiverem no jacuzzi na companhia uns dos outros a relaxar das questões de sustentabilidade reflictam sobre este assunto xixi no banho quando um parceiro de banheira ficar com cara de caso e assobiar para o lado.

Celebridades Cameron Diaz é uma das vozes activas do "factor autoclismo" e que defende a redução das descargas com o adágio "se é amarelo é melhor esquecê-lo" ("If it's yellow leave it mellow; if it's brown flush it down")

Clique nos links abaixo para ler mais sobre o tema

Campanha Xixi no Banho

Terapias

Artigo demolidor sobre urinoterapia (Dicionário do Céptico)

Já o campeão de boxe, Juan Manuel Marquez, é adepto da urofagia como sinal de virilidade - (vídeo HBO de Setembro de 2009)

Texto publicado na edição do Expresso de 9 de Outubro de 2009