Siga-nos

Perfil

Expresso

Luis Pedro Nunes

Cansadas da ditadura da copa

A imprensa económica e a de tricas concordam: os seios grandes estão fora de moda. Substituam-se.

Luis Pedro Nunes (www.expresso.pt)

- Os teus seios têm um toque estranho...

- Oh! É porque são naturais.

Steve Martin e Sarah Jessica Parker em "Viver e Amar em los Angeles", 1991

Desde que se soube que o material dos implantes mamários franceses era rasca que o pânico se instalou no seio das copas D. As mulheres correram a escrutinar a nacionalidade das suas 'meninas' e houve mesmo quem - num inaceitável gesto de chauvinismo mamário - anunciasse na imprensa de referência lusa que os seus implantes eram "americanos" - os fãs não tinham nada que se preocupar. A verdade é que, observada a realidade com alguma minúcia, Portugal continua em contraciclo: se os sinais vindos de fora são de que os seios siliconizados estão a minguar, por cá ainda se vive um verdadeiro boom.

Enquadramento histórico. Foram uns bons 18 aninhos entre o aparecimento do surpreendente wonderbra e a caça ao silicone decretado pela imprensa rosa portuguesa. A questão que se colocou com o aparecimento do sutiã que "unia e elevava" era conceptual: do ponto de vista masculino, o wonderbra era um embuste ou não, dado que não se sabia a virtude do que 'espremia', pelo contrário ameaçava não ser o que prometia? Já no Verão de 2008, o divertimento das revistas do social passava por exibir um antes e depois das maminhas das criaturas do Jet7, com algumas delas a negar veementemente qualquer procedimento, saltando aos olhos o preenchimento súbito de 300 ml, em ambos os quadrantes.

Ninguém sabe quantas mulheres em Portugal já fizeram este procedimento por razões estéticas. Contudo, a verdade é que mesmo por cá é cada vez mais difícil encontrar uma copa A em boas marcas de lingerie como Chantal Thomass ou a La Perla - já se quiser um 34D é mato.

Mas um dia as big boobs deixariam de estar na moda - mesmo com toda a treta psico-sexo-analítica para agradar os homens. Além do mal que faz uma Victoria Beckham anoréctica passar de um 34 A para um 34 DD, ela (logo ela!) ficaria obviamente farta de ter algo em si tão permanentemente evidente e incontornável. A posh spice deixou de querer carregar o seu peso em silicone. Não é, pois, surpreendente que sejam as mesmas mulheres que 'abusaram' que agora estejam felizes a exibir essa ausência, essa inexistência (sendo que tal equivale a um implante copa B). O movimento de remoção de seios falsos está aliás a tomar proporções gigantescas, o que leva analistas a falar em "declínio do sex-appeal da cirurgia estética" e de uma adaptação do ideal de beleza a um período de menor exuberância económica. Desde que a bolha rebentou que o silicone começou a esvaziar. Cita-se a família Osbourne, Drew Barrymore, Pamela Anderson, Jennifer Connelly e uma série de outras notáveis de Bel Air que não faço ideia quem possam ser e que estão na lista 'reduzidas'.

Ora posto isto, e tendo em conta o zeitgeist já é possível fazer um pequeno receituário de senso comum para a mulher hesitante. Sim, é verdade que quem põe explode em auto-estima. Sim, já se sabe desde Desmond Morris que os homens gostam delas grandes mas não se deixe ir por eles, não se deixe ir por material barato, e aqui não estou a falar dos marmanjos mas dos implantes que rebentam, mas acima de tudo salte etapas e imagine que já está farta, e se calhar está bem é assim, e se estivesse a remover, qual o tamanho que escolhia - o que tem? Ah, ah et voilà!

A verdade é que tudo isto é uma grande mentira. Nem a cirurgia estética está a desaparecer nem os implantes vão acabar. Há sim uma reconceptualização. Após um período de exageros e artificialismo segue-se um recentramento para o que é 'natural'. Só que este 'natural' no caso dos seios é o que não parece ser 'falso'. Os cirurgiões vão tirar grandes e substituir por médias e perfeitinhas e de forma extraordinariamente estóica as mulheres vão-se submeter desta feita silenciosamente para parecer que nada aconteceu. Tudo igual, portanto.

Ideal de beleza

A Disney não esteve por meias medidas e proibiu mamas falsas nos seus filmes . No próximo Piratas das Caraíbas ("Pirates of the Caribbean: On Stranger Tides") Jack Sparrow já não se irá enfeitiçar com o colo artificial de Keira Knightley mas sim com a natural Penélope Cruz. É irónico como uma empresa que só trabalha com efeitos especiais exija tal predicado de veracidade às suas actrizes.

Texto publicado na edição da Única de 10 de Abril de 2010