Siga-nos

Perfil

Expresso

A cibercondria pode matar

Sem querer parecer dramático, é possível dizer que o Google é hoje um dos grandes causadores de doenças fatais e fulminantes do mundo civilizado. Com a nuance de que se trata de doenças imaginárias. Mas até que o (pretenso) moribundo ouça o veredicto de um — ou vários — médico de carne e osso de que tem apenas um eczema curável com pomada e não uma forma rara de cancro, ele estará mesmo convencido que irá morrer. O que é uma chatice. Sendo uma alegria — o não ir morrer — podia não ter atazanado a vida aos demais com despedidas dramáticas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)