Siga-nos

Perfil

Expresso

João Duque

Mercadorias para a Madeira? Vão a nado!

O povo clamavam em uníssono a sua lealdade ao chefe: "Ave! Ave! Ave!" Todos dispostos a morrer por ele. O ministro assoma à varanda e anuncia a tragédia: o adorado líder padecia de uma enfermidade gravíssima, sendo necessária a doação de um coração por um dos súbditos. O cidadão sorteado teria as suas compensações: urna de primeira, funeral de Estado e lugar assegurado no panteão nacional.  

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI.