Siga-nos

Perfil

Expresso

Porque é que gays apoiam Le Pen?

Chamemos-lhe Patrick. É um jovem gay que vive numa cidade outrora amiga da homossexualidade, Bordéus. Tudo mudou com a presença de muçulmanos nas ruas. A atmosfera da cidade mudou, tornou-se homofóbica. O ponto de viragem foi 2005: em dois meses, cinco gays foram assassinados em Bordéus por gangues de muçulmanos, quais SA islamitas. Este e outros casos foram enterrados pelos media, , não fazem parte da memória coletiva. E a França não está sozinha nesta hipocrisia. Chamemos-lhe Oliver. Em 2008, este gay londrino foi esfaqueado por outra SA islamita à saída de um bar; quando a justiça puniu os agressores, o bar foi destruído por outro gangue muçulmano. Por toda a Europa, estas e outras blitz islamitas foram, são e serão silenciadas pelos media? Depende.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)