Siga-nos

Perfil

Expresso

Opinião

Artigo de opinião de Gabriela Canavilhas: “Um título num jornal de referência é mais eficaz do que uma declaração política” *

  • 333

josé caria

Em artigo de opinião para o Expresso Diário, Gabriela Canavilhas justifica os seus comentários à notícia do Público. Defende o “humor” e “até a capacidade de errar”, que “faz do responsável político alguém vivo e [uma] parte da mole humana”

Gabriela Canavilhas

Em política o que parece é; o que significa que quem faz parecer faz a política ser. Um título duma notícia num jornal de referência é tão ou mais eficaz na mobilização social quanto uma declaração política.

O acompanhamento que o Público tem feito sobre o financiamento público dos colégios privados tem tido erros. Erros que têm sido admitidos pelo próprio jornal, como é deontologicamente correto, o que não impede que sejam lembrados se e quando reincididos.

Aceita-se com banalidade quase tudo o que é dito e escrito pela comunicação social; mas não se aceita nada que não seja absurdamente politicamente higiénico a alguém que esteja na política ativa. Por isso, muitas vezes somos considerados não-pessoas, apenas políticos.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

* Título da responsabilidade do Expresso

  • Canavilhas não retira uma linha mas teria colocado emojis

    A deputada do PS mantém tudo o que disse relativamente à cobertura do Público sobre a manifestação em defesa da escola pública (na sua conta no Twitter, Gabriela Canavilhas falou de “factos falsos” e perguntou por que razão não fora a jornalista “ainda despedida”). Agora, mais a frio, apenas admite que faltou uma pitada de humor: “Teria colocado os emojis”

  • Não cometerei a injustiça de afirmar que os ministros da Cultura têm tendências estranhas para soluções totalitárias ou violentas. Há os que sim e os que não. Desde Manuel Maria Carrilho, a braços com um processo pessoal e familiar que não comento, passando pela ameaça de bofetadas profetizada João Soares, este fim de semana a também ex-ministra da Cultura Gabriela Canavilhas sugeriu o despedimento de uma jornalista