Siga-nos

Perfil

Expresso

Crónica do sportinguista Luís Pedro Nunes: Jesus já para a rua por benfiquismo!

  • 333

José Coelho / Lusa

Espero que Bruno Carvalho já tenha despedido Jorge Jesus por justa causa. Tem mais que razões para o fazer. E de imediato e com direito a indemnização compensatória para a entidade patronal ou lá o que é. E novamente por questões de indumentária, tal como aconteceu com Marco Silva o ano passado. Esta Liga escapou estupidamente ao Sporting porque Jesus demorou a despir a farda do clube de Carnide e a respetiva peúga branca com raquetes. O homem devia ter sido passado a sabão macaco e desinfetante quando pisou o chão sagrado de Alvalade. E passado um mês, 24 horas por dia, com Eduardo Barroso para ser sportinguizado. Mas não. Deixaram-no semana após semana desbocadamente a picar o fulano que o tinha substituído e estava de rastos. Aquilo soava mesmo a técnica de agente vermelho. Uma coisa à Pedro Guerra na arruaça mas sem a parte das fotocópias. Não era coisa nossa. Jesus foi incompetente. E tanto provocou que deu vida um morto. Jesus esteve em dois lados ao mesmo tempo mas fez o milagre errado. Jesus pode ir agora ressuscitar Pinto da Costa mas primeiro tem que pedir desculpa ao Sporting.

“Foi por pouco... Foi injusto... Este ano merecíamos...” Quero lá saber! Por mim é assunto arrumado e até acho que foi pior assim. Demos muito gás aos fulanos. É que há quem diga que é melhor perder assim do que perder por muitos pontos. Não acredito. Tudo o que sirva para excitar um vermelho é mau. Desperta o Barbas que há em cada Bagão Félix. Se é para que sejam eles a ganhar então é preferível que a Liga seja o mais desinteressante possível para que não se entusiasmem. Nem façam muitos pontos. Nem lucrem. Nem vendam jogadores a clubes estrangeiros. E muito menos que o facto de o Sporting ter tido um treinador desbocado com trejeitos de malandreco e cheio de bazófias nas primeiras jornadas tenha dado do outro lado da 2ª Circular a oportunidade inusitada de terem um treinador “ponderado” o que não lhes fica bem nem lhes é próprio. É tão esquisito como uma conferência de imprensa de José Peseiro.

Como grande sportinguista que sou finjo não gostar de bola. Faço a gestão entre ser Leão e ser Lagarto. Não tem mal. Hoje ninguém mais me irá chatear com este assunto. E vou evitar o Marquês porque para ser ensanduichado por benfiquistas basta-me fazer zapping entre programas de bola ou apanhar um cacilheiro. Ficarei apenas a aguardar as novidades que a Liga do próximo ano irá trazer. Aposto que o Carrillo vai dizer que é benfiquista desde pequenino. E que se seguirem as deste ano prometem: os canais de notícias já se renderam de forma submissa ao futebol. Só um bom funeral saído de uma tragédia neo-realista com gritos e ranho bate uma conferência de imprensa pré-match. Os debates de bola deixaram de ter pomposos doutores de bigode para passar a ser infotainment puro e gritaria clownesca. E os jogos agora dão na tv tipo relato de rádio a mostrar os comentadores e as bancadas no que seria suposto ser o produto mais antitelevisivo que existe. Ora o passo seguinte é....? Não faço ideia. Mas promete.

Quem ganhou a Liga 2015/2016? Já não me lembro.

Quem vai ganhar 16/17? O Sporting, obviamente.