16 de abril de 2014 às 19:40
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Atualidade  ⁄  Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente  ⁄  ONU envia ajuda humanitária para o leste do país

ONU envia ajuda humanitária para o leste do país

Uma coluna de camiões do Programa Alimentar Mundial (PAM) deverá transportar cinco mil cobertores e colchões até Benghazi, bastião da oposição ao regime do líder líbio Muammar Kadhafi. Clique para visitar o dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) vai enviar na quarta-feira ajuda humanitária para a Líbia para fazer face ao grande número de pessoas deslocadas pela situação de guerra civil que o país vive.

Clique para aceder ao índice do Dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

Uma coluna de camiões do Programa Alimentar Mundial (PAM) deverá transportar 5 mil cobertores e outros tantos colchões até Benghazi, bastião da oposição ao regime do líder líbio Muammar Kadhafi.

Nos próximos dois dias, a agência tenciona também enviar alimentos a partir do Egito para a Líbia.

Os combates na Líbia levaram milhares de pessoas a deixarem as suas casas e a refugiar-se no leste do país, anunciou hoje o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), baseando-se em testemunhos de refugiados no Egito.

Cerca de 328 mil pessoas deixaram a Líbia


"As equipas do ACNUR na fronteira egípcia com a Líbia ouviram de recém-chegados que milhares de líbios estão deslocados no leste do país, refugiados em casas, escolas e edifícios universitários", disse um porta-voz do ACNUR, Adrian Edwards.

Uma porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), Fadela Chaïb, apontou a falta de medicamentos na Líbia e a necessidade de ajudar os ministérios da saúde do Egito e da Tunísia, países vizinhos, para assistirem os que possam precisar.

Cerca de 328 mil pessoas já deixaram a Líbia, a maior parte passando pelo Egito e pela Tunísia, segundo a Organização Internacional para as Migrações.

O enviado especial da ONU para a Líbia, o jordano Abdel Elah Al Khatib, reuniu-se na segunda-feira à noite com a direção das forças rebeldes líbias em Tobruk para se inteirar da situação.

Comentários 0 Comentar
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub