Anterior
Egito: urnas abrem pelo segundo dia para presidenciais
Seguinte
Egito: chefe religioso saudita proíbe voto em Shafik
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente  >   ONU acusa Exército sírio por violações de Direitos Humanos

ONU acusa Exército sírio por violações de Direitos Humanos

Relatório da ONU hoje divulgado aponta para uma "crescente militarização" do conflito na Síria, acusando o Exército e forças de segurança pela violência no país. Clique para visitar o dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente
|
Mãe chora morte do filho, assassinado durante o conflito sírio
Mãe chora morte do filho, assassinado durante o conflito sírio / Getty Images

A comissão independente das Nações Unidas para investigar a violência na Síria não tem dúvidas. "A maioria das graves violações aos Direitos Humanos foram cometidas pelo Exército e pelas forças de segurança  sírios em operações militares ou de busca de  suspeitos, desertores, pessoas armadas ou simpatizantes da oposição". O relatório da ONU hoje divulgado analisou os acontecimentos no período de março a maio de 2012.

Clique para aceder ao índice do Dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

De acordo com a comissão internacional - que continua sem permissão de Damasco para visitar a Síria -, o documento foi elaborado com base em entrevistas realizadas dentro e fora do país, com testemunhas diretas do conflito e da repressão.

Os investigadores admitem, no entanto, que "grupos armados opositores ao Governo também cometem abusos".

Entretanto, o presidente do Conselho Nacional Sírio (CNS)- principal coligação de oposição -, Burhan Ghalioun, reeleito no passado dia 15, apresentou esta madrugada a sua demissão. No entanto, a pedido da liderança do CNS, ficará em funções até à eleição de um novo dirigente,  que deverá ocorrer na reunião dos dias 9 e 10 de junho.

Execuções e tortura


A comissão da ONU refere que as graves violações dos Direitos Humanos não diminuíram, sendo "crescente" a militarização do conflito, "apesar do acordo das partes" sobre o plano de Kofi Annan, enviado especial da ONU e da Liga Árabe.

Além de o Exército estar a empregar um "enorme leque de meios militares, incluindo disparos de artilharia pesada contra zonas civis", dizem os investigadores, os militares e as forças de segurança são também responsáveis pelo "bloqueio sistemático em determinadas regiões do acesso a meios básicos para a vida humana. Ou seja, alimentos, água e medicamentos".

De acordo com a comissão, há provas de que "os grupos armados de oposição utilizam  regularmente crianças como mensageiros, portadores de medicamentos ou como cozinheiros nas unidades de rua", e que estas são muitas vezes obrigadas a viajar pela fronteira com a Turquia.

O relatório afirma, ainda, que o Governo sírio realiza execuções extrajudiciais e insiste na prática de tortura, inclusive de crianças, "que frequentemente são feridas durante ataques a manifestações ou bombardeamentos a cidades ou aldeias".

Crianças até 10 anos que foram detidas pelas forças públicas disseram à comissão terem sido torturadas porque os seus familiares simpatizam ou aderiram ao Exército Sírio Livre. 


Opinião


Multimédia

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados
De ultimato em ultimato, até à chacina final.
Os sanguinários do Médio Oriente e os hipócritas ocidentais.
A propósito, não é estranho o Expresso online não noticiar que um grupo israelita de defesa dos direitos humanos divulgou vídeos em que um grupo de colonos abre fogo sobre palestinianos, com soldados israelitas a assistirem?
Idílicas nações reunidas
Da reestruturação do CS já se fala há demasiado tempo. O consenso a este respeito entre 190 e tal membros da ONU é idílico. Com o fim da Guerra Fria, durante a última década do século passado, a actividade e flexibilidade do conselho aumentou consideravelmente. Actualmente, vai publicando o seu programa de trabalho, as metas e sanções a serem aplicadas, citando-se apenas algumas melhorias relacionadas com uma maior transparência dos seus trabalhos, porque na sua composição, não-representativa das realidades geopolíticas actuais, não foi ainda dado o grande passo para se reformar efectivamente. Aquele que é o mais poderoso órgão das Nações Unidas, no que toca à reforma da sua estrutura, limitou-se a aumentar o número de assentos, ainda na década de 60. Seria desejável aumentar-se a sua responsabilização, credibilidade e eficiência, fazendo com que a sua composição reflicta uma realidade mais actual, com vista a torná-lo mais representativo da comunidade internacional; aprimorar o processo de implementação de decisões, para não estar a pensar nos russos. Como membro permanente do CS da ONU, a Rússia é o fornecedor de armamento que dizimou já centenas de Sírios.
Re: Idílicas nações reunidas
Comentários 3 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub