21 de abril de 2014 às 1:39
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Economia  ⁄  Orçamento do Estado 2012  ⁄  OE: perigo de incumprimento na Educação, Saúde e Negócios Estrangeiros

OE: perigo de incumprimento na Educação, Saúde e Negócios Estrangeiros

As Finanças dizem que há risco de incumprimento nos ministérios da Educação, Saúde e Negócios Estrangeiros. Clique para visitar o dossiê Orçamento do Estado 2012
Lusa

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, alertou para o risco de incumprimento nos ministérios da Educação, Saúde e Negócios Estrangeiros durante a reunião extraordinária do Conselho de Ministros de dezembro, segundo um documento hoje citado pelo semanário Sol.

Clique para aceder ao índice do dossiê Orçamento do Estado 2012

No Ministério da Educação e Ciência, o documento refere que estão previstas "poupanças em despesas com pessoal na ordem dos 100 milhões de euros", embora estime que possa existir "uma suborçamentação" dessas despesas.

Para o Ministério da Saúde está prevista uma poupança de 350 milhões de euros "ainda por definir", mas o texto sublinha que "a concretização dessas poupanças está dependente do pagamento das dívidas" dos hospitais EPE, estimadas em 1.500 milhões de euros.

Atenção na Agricultura, Ambiente, Mar e Território 


No ministério dos Negócios Estrangeiros o problema está relacionado com o pagamento de quotas de instituições internacionais de que Portugal faz parte.
"Verifica-se um défice de cerca de 64 milhões de euros em 2011, que transitará para 2012 e não se encontra orçamentado", reconhece o texto, citado pelo Sol.

O documento de sete páginas, que segundo o Sol foi qualificado por uma fonte oficial como um documento de trabalho, chama ainda a atenção para a situação no ministério da Agricultura, Ambiente, Mar e Território.

Segundo o Sol, para que "a dotação atribuída" no Orçamento de Estado ao Proder seja consistente com as "necessidades de financiamento" é preciso que a Comissão Europeia aceite um pedido de "aumento da taxa de cofinanciamento comunitário para 85%".

Comentários 20 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Está a acabar o estado de graça.....
... e a desculpa do "desvio colossal" que afinal nunca foi devidamente identificado, cada vez convence menos pessoas.

O que se começa a verificar é a incapacidade para dar a volta a uma situação, difícil sem dúvida mas que, antes das eleições e com vista a derrubar o anterior Governo, se resolvia com uma "penada".

Não é assim, já se sabia que não seria assim, sendo também conhecido que além de manifesta incompetência de muitos dos actuais protagonistas ainda terems que suportar os seus desvarios neo-liberais e pataoadas do género.

É claro que a solução, agora e no tempo de Sócrates, depende mais do exterior e medidas a assumir pela UE do que aquilo que podemos fazer cá dentro.

Poderíamos não fazer valer o compadrio e amizades para preencher os lugares-chave do País, poderíamos tomar medidas justas e que atingissem todos, poderíamos deixar de recorrer a esquemas para beneficiar sempre os mesms e por aí fora.

Isso sim, poderíamos fazer mas, mais uma vez, não estamos a fazer......

 
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
Re: Está a acabar o estado de graça..... Ver comentário
OE perigo de incumprimento na Educação Saúde


Encaminho como o recebi, sem mais comentários

O Rei da Respublica do raio que o parta!

  Para a Cimeira Ibero-Americana, que decorre no Paraguai, Aníbal Cavaco Silva arrasta atrás dele um séquito de 23, no qual se incluem mordomo e médico pessoal.
O mesmo Presidente, que se eternizou na célebre frase "Ninguém está imune aos sacrifícios", já tinha suscitado consternação aquando da visita aos Açores em Setembro, por se ter feito acompanhar de uma comitiva de 30 pessoas, entre as quais estavam o chefe da casa civil e sua esposa, quatro assessores, dois consultores, um médico pessoal, uma enfermeira, dois bagageiros, dois fotógrafos oficiais, um mordomo e 12 agentes de segurança.
Já recentemente Cavaco Silva recebeu as credenciais de seis embaixadores tendo cada um sido acompanhado por 60 cavalos e charanga da GNR.É o que dá ser-se Rei de uma Republica !!!...
A Presidência receber por ano mais de 14 milhões de euros, o dobro do orçamento da Casa Real Espanhola, dá para isto e muito mais.
Que não faltem festas, passeios e charangas !...
Quem perdeu os subsidio de férias, Natal e parte do salário e vê quem afirmava que todos tínhamos de fazer enormes sacrifícios a esbanjar à grande e à francesa, como se deve sentir?

http://www.telegraph.co.u... bt-crisis-could-destroy-European-political-union.html

http://www.tsf.pt/PaginaI... ...
há que pôr um ponto final nesta insanidade
Estes cortes orçamentais são inadmissíveis. Mais vale suspender o país por um ano para que não se contraiam mais despesas.
Vamos todos hibernar durante o inverno, já que fazemos figura de ursos, que levemos o nosso papel até ao fim.
Re: há que pôr um ponto final nesta insanidade Ver comentário
Re: há que pôr um ponto final nesta insanidade Ver comentário
Re: há que pôr um ponto final nesta insanidade Ver comentário
Deixa arder que o que arde cura Ver comentário
Re: Deixa arder que o que arde cura Ver comentário
Re: Deixa arder que o que arde cura Ver comentário
A governação tem muitas resistencias...
Resistem as parcerias ruinosas para o estado, resistem as fundações que empregam os boys com salários milionários, resistem os diretores e diretores adjuntos como por exemplo nas escolas publicas em número excessivo, seis a oito por escola, resistem os bibliotecários sem horário letivo, mais de 2000 que só estão nas escolas de manhâ ao de tarde e tem dia livre, resistem as ajudas de custo, viagens, empresas municipais, e outras publicas que apenas se justificam a si próprias...As faturas tem de ser pedidas...A economia paralela prospera...Os fortes e poderosos resistem, assim não há milagres, só nos espera a bancarrota, pois já não é possivel cortar ,ais nos salários...
As tretas dos incompetentes...ministros
... são o habitual. Muitas promessas, muito rigor, sacrificios para todos e na volta é só falhanços e OEs de contabilistas.

Mas estes ministros já alguma vez deram a volta ao país para falar com as populações?

Obviamente, o maior incompetente é o primeiro e depois o das finanças. Competente é, foi, o Catroga.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub