16
Anterior
"Se alguém olha para os custos é o Professor Doutor Vítor Gaspar"
Seguinte
Mario Monti: Europa aproxima-se do "fim do túnel"
Página Inicial   >  Economia  >   Obama não acredita no fim do euro

Obama não acredita no fim do euro

Apesar de "não acreditar de todo que os europeus deixarão o euro se desmoronar", o Presidente norte-americano diz que a Europa tem de adotar "medidas decisivas" para salvar a moeda única.

Lusa |
Barack Obama: "A Europa ainda é um problema"
Barack Obama: "A Europa ainda é um problema" / Skip Bolen/EPA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou na segunda-feira que não acredita no fim da zona euro na sequência da crise da dívida, mas defendeu a adoção de "medidas decisivas" para se enfrentar tal ameaça.

Num discurso proferido na noite de segunda-feira em Nova Iorque, perante alguns democratas que apoiam a sua campanha às presidenciais, Obama salientou que a situação económica nos Estados Unidos ainda é precária e alertou para "ventos contrários nos próximos meses".

"A Europa ainda é um problema, e muita gente nesta sala que tem negócios com a Europa compreende isso", observou Obama perante cerca de 60 pessoas, entre as quais responsáveis de empresas de Wall Street.

O presidente norte-americano disse "não acreditar de todo que os europeus deixarão o euro se desmoronar", mas notou a necessidade de aqueles "adotarem medidas decisivas", sem especificar quais.

"Passo muito tempo a procurar trabalhar com eles, e [o Secretário norte-americano do Tesouro] Tim Geithner passa muito tempo a trabalhar com eles para garantir que percebem que quanto mais depressa adotarem medidas decisivas, mais depressa estaremos em melhor posição", concluiu.


Opinião


Multimédia

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.


Comentários 16 Comentar
ordenar por:
mais votados
ESTAMOS QUITES!
Eu não acredito é no fim do Dólar! Enquanto houver papel e tinta os dólares não acabam no mundo!
Re: ESTAMOS QUITES!
Obama não acredita no fim do Euro
Pudera!!
Ele nunca lê as crónicas do Daniel Oliveira!
Re: Obama não acredita no fim do Euro
A Sra Merkel ouviu?
ou quer alguma explicação? É que a Alemanha sem o resto da Europa é muito pequenina!
Olhó Sócrates, não te esqueças...
Acreditar
Também há quem não acredite em bruxas e que as há é uma verdade galega, mas não são as convicções do presidente Obama que nos ajudam, pois o problema do euro não é meramente económico é essencialmente politico e de gente da política estamos muito mal servidos.
"OBAMA E O CATA VENTO"
Já achei mais piada aqui ao "OBRAMA". Foi giro coisa e tal diferente coisa e tal mas.... e se for reeleito a tal e coisa diferente vai murchar de todo.
Todos sabemos que por detrás do ataque ao Euro anda muito dollar falso (são quase todos) e o Ti Obama atira uns bytaites que lhe escrevem e o resto dança pela Europa o fandango de todos os dias, excetuando os friends Camerons ou outros que estejam a morar no nº 10.
A parra ainda é muita mas o vinho muito pouco vindo dos lados dos américas.
Claro que a força dos mísseis não valendo nada vale muito quanto mais não seja para meter no prego (se é que já não estão)
Mas já não acho muita graça ao Obrama ou Obama, para mim já é mais obrama.
Salve-se o cão que é Português.
kácus
Obama não acredita no fim do euro
O fim do Euro seria um acontecimento demasiado trágico e estúpido para a Europa e para todo o mundo, incluindo a América, para que aconteça!

Seria necessária uma enorme dose de estupidez da parte dos dirigentes Europeus para deixassem que o Euro chegasse ao fim.

Por isso a probabilidade que acontecimento se venha a verificar é baixa, mas não é nula. Devemos prepar-nos para tudo. Mesmo os acontecimentos mais improváveis podem verificar-se!

Mas não deixa de ser hipócrita esta afirmação de Obama, quando sabemos que neste momento a crise do Euro lhes dá um grande jeito para distrair o mundo dos graves problemas que atravessa a economia Americana, do défice gigantesco do Estado Federal e da bancarrota de muitos Estados da União.

Assim como um desvalorização do Euro em relação ao Dólar, tornando-o menos competivo face á Dólar como a segunda moeda de reserva mundial.
Obama
não crê em muita coisa. Mas, como comandante-mór do Colosso, que vê da Casa Branca o mundo como seu quintal, dá palpites quando descansado; em aflição, promove algumas boas porradas e o mundo fica de joelhos. Deste modo, quando diz que não crê, deve-se entender justo o contrário, para entendê-lo. É um César e como tal, pode dizer tolices e será compreendido como um deus. Rio Grande
Reequilibrio europeu
Pela primeira vez a europa tem uma politica económica e financeira própria que se consubstancia num rigor ínequivoco no controlo dos déficits públicos dos países mais indisciplinados, imposta, claro, pela alemanha.
Esta nova situação, que o sr. Obama não previa, é só ver a receita que quis impor ao mundo ao sugerir lançar dinheiro para cima dos buracos orçamentais, e veja-se o resultado que isso deu em Portugal, está a prejudicar a economia americana e é por isso que continuam a insistir que os países mais disciplinados da europa e que mantém condições de financiamento paguem a prosperidade (?) americana.
Era o que o Obama /Dollar queria
Isso era o que o Obama/Dollar queria - a queda do Euro. Dava um jeitão à deficitária economia dos EUA e lavava a cara aos americanos. Atolados em dívida ao Mundo (que a Grécia e outros andam a pagar) neste momento não pensam noutra coisa.
Ai não?
Eu já não posso dizer o mesmo, pois o dito cujo (euro) já há muito que se foi de minha casa. Finou-se, acabou-se., foice, mudou de nome agora é chamado o JÁ ERA.
Eu também não acredito em bruxas...
... Mas que as há, há.
Pois claro !!!
nada melhor que dizer ao nosso inimigo quando está no leito de morte , que tudo é apenas uma indisposição e que a saùde irá melhorar !!! AHAHAHAH - É preto mas também cowboy !!!
As árvores de Battersea Park
Caro Presidente,
Desta praia onde me encontro agradeço a sua peocupação com a Europa. Afinal não foram os europeus uns seus entusiastas? Não foi recebido em apoteose em Berlin?
Mas agora reparo: esse Timothy Geithner que é secretário do tesouro, descendente de alemães, não esteve envolvido na Administração Bush, com Henry Poulsen, na AIG e no Lehman? Não esteve no CFR? Não foi presidente do Federal Reserve Bank de NY? E Poulsen não era Goldman Sachs?
E não são as vossas agências de rating que enfraquecem uma Europa perdida de si própria?
E não é Warren Beaty o proprietário do Bank of America, um dos 13 da FED, e da S & P?
O Euro é 1/3 do mercado de aforro, 1/3 da licença para emitir moeda...
Todos vos receiam, até os suiços. O vosso Delaware é, nas palavras de Tiago Caiado Guerreiro, um gigantesco offshore.
Gostava de poder acreditar que são as árvores que, ao abanarem, originam o vento de Battersea Park...
Mas eu sou um dos loucos que acredita em coisas invisíveis, veja só! Eu acredito que uma revolução começa muito antes de estar na rua. Quando é pesada na cabeça dos homens. E V. Exas estão a fazer uma revolução...
Sim, eu já acreditei que as árvores eram abanadores gigantes...
Agora acredito no vento e no seu poder.
E o vento de Battersea Park NYC é ainda mais devastador que o vento de Battersea Park London...
Comentários 16 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub