Anterior
Sismo de magnitude 5,8 no México
Seguinte
Sede do PSD em Matosinhos vandalizada
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Obama critica duramente congressistas norte-americanos
COM VÍDEO

Obama critica duramente congressistas norte-americanos

Barack Obama criticou o Congresso por ter deixado vários assuntos pendentes antes das eleições. Presidente dos EUA continuar a liderar as sondagens, à frente de Romney.
Lusa |
Obama continua em campanha
Obama continua em campanha / Getty

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, acusou hoje os membros do Congresso de estarem mais preocupados com sua reeleição e "seus salários" do que com os eleitores, por deixarem medidas por aprovar.

Durante o seu discurso radiofónico e na Internet semanal, Obama apontou que o Congresso "deixou uma série de propostas sobre a mesa", como a aprovação de cortes tributários para fomentar a poupança dos cidadãos, as ajudas aos veteranos da guerra para encontrar emprego e aos propeitários para refinanciar as suas hipotecas, entre outros assuntos.

Segundo Obama, o facto dos congressistas terem regressado aos seus círculos eleitorais sem concretizar os assuntos pendentes antes das eleições é um sinal que "estão mais preocupados com os seus trabalhos e salários" do que com os eleitores.

"Estas propostas têm apoio bipartidário e não há motivo algum para que não sejam aprovadas", afirmou Obama, que instou o Congresso a pôr as mãos à obra.

Romney joga a carta dos impostos, com Obama a liderar sondagens


Em dificuldades nas sondagens face a Obama, Mitt Romney viu-se novamente à defesa esta semana, que terminou divulgando enfim a sua última declaração de impostos, assim acatando apelos democratas e republicanos.

Depois de na semana anterior o eleitorado ter reagido mal, segundo sondagem Reuters/Ipsos, a acusações suas ao presidente democrata Barack Obama sobre a morte do embaixador na Líbia, esta semana Romney foi o foco ao saber-se que em maio qualificou quase metade dos norte-americanos como dependentes do Estado.

"Há 47% da população que é dependente do governo, que acredita que é vítima e que o governo tem responsabilidade de cuidar dela, que acredita que têm direito a cuidados de saúde, alimentação, habitação, tudo", afirma Romney no vídeo.

A percentagem de que fala no vídeo amador, publicado em 'clips' no site da revista "Mother Jones", inclui cidadãos que não pagam impostos sobre rendimentos, como os mais pobres, mas também os militares que prestam serviço no Afeganistão ou Iraque. "Nunca vou convencê-los de que devem tomar responsabilidade pessoal e cuidar das suas vidas", diz Romney, adiantando que o seu papel não é preocupar-se com estes.

Declarações pouco "elegantes"


A primeira medida de contenção de estragos foi uma conferência de imprensa para dizer que as declarações foram improvisadas e admitir que não foram "elegantemente proferidas". Num artigo publicado no diário "USA Today", Romney articulou depois o ponto de vista dizendo que Obama apoia uma economia que "alimenta uma rede de dependência do governo", e por isso estagnação, em vez de "políticas para retirar os norte-americanos da pobreza", através do crescimento económico. O ponto seria reforçado em entrevista à cadeia de televisão Fox News e outros meios.

As sondagens mostram que os comentários foram mal recebidos: segundo a Gallup, 36% dos eleitores afirmam que provavelmente estão agora menos inclinados para votar em Romney e 20% disseram manter a intenção de voto, enquanto para os restantes não faz diferença.

A sete semanas das eleições e duas do primeiro debate presidencial, uma média das sondagens dava esta semana 48,6% das intenções de voto a Obama e 44,7% a Romney.

A campanha democrata, que gosta de retratar Romney como um milionário que não conhece os problemas ou necessidades da classe média e dos mais pobres, veio imediatamente acusar Romney de "desqualificar desdenhosamente metade da nação".

Romney pagou 1,95 milhões em impostos


Contemporizador, no programa da CBS de David Letterman, o presidente Obama veio dizer que "não há nada de errado" em "querer dar uma mão" a quem mais precisa e que os eleitores não querem um presidente que "desqualifica uma grande parte do país"

Alguns candidatos republicanos vieram mesmo a público distanciar-se, como Scott Brown, que está a concorrer a senador do Massachusetts. "Não é a forma como vejo o mundo. Como alguém que cresceu em circunstâncias difíceis, sei que ninguém quer depender da ajuda do Estado", disse Brown.

Tomando a iniciativa, Romney divulgou na sexta-feira a sua declaração de impostos mais recente, de 2011, como é hábito entre os candidatos presidenciais e vinha sendo reclamado pelos seus adversários e mesmo por republicanos. Pagou 1,95 milhões de dólares em impostos no ano passado, sobre rendimentos de capital de 13,7 milhões de dólares, uma taxa de 14,1%. Dados divulgados pela campanha indicam ainda que Romney pagou impostos todos os anos entre 1999 e 2009, a uma taxa média de 13,66%.

O casal Romney doou ainda, em média, 13,45% dos seus rendimentos para caridade e quatro milhões de dólares em 2011. Os democratas continuam a exigir a divulgação de mais declarações fiscais, além da de 2011 agora divulgada e da de 2010 já conhecida, e deverão continuar a fazê-lo em campanha, alegando que Romney tem contas não taxadas em bancos suíços e paraísos fiscais.



Veja o vídeo:

Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados
Obama é um produto da democracia
americana e, pelo que se depreende, não é muito diferente dos políticos em geral, quer aqui ou na Europa. Apenas lá pelas bandas do Japão é que, pelas enormes adversidades daquela posição geográfica, é que os políticos pisam em ovos e cometem o "harakiri", até por uma saída com uma prostituta ... No resto do mundo, é tudo favas contadas e farinha do mesmo saco. Rio Grande
Obama é um frágil!
E os americanos sabem disso.
Como Pode?
OBAMA é um cara de pau. Está a fazer a política que LULA fez no Brasil, e acusa os congressistas de pensarem na reeleição. https://www.youtube.com/watch?v=STgHhhHx_4g

Neste momento 47% dos americanos são subsidio dependentes e eleitores da sua legenda. Esse cara está a destruir os EE UU tranquilamente, e as pessoas aplaudem-no freneticamente.

Não há dúvida de que o ser humano a cada dia que passa está mais abestalhado.
Re: Como Pode?
Re: Como Pode?
Comentários 5 Comentar

Últimas


Pub