20 de abril de 2014 às 12:24
Página Inicial  ⁄  Blogues  ⁄  A Tempo e a Desmodo  ⁄  O Quinto Império em Chuteiras

O Quinto Império em Chuteiras

Henrique Raposo (www.expresso.pt)

É um cliché do tamanho de um mamute, mas é impossível não ver ali uma verdadinha: os portugueses vivem entre o 8 e o 80, entre o Apocalipse e o Quinto Império. Não existe uma terra média de ponderação. E, como sempre, o futebol é um ótimo espelho desta mania. Até sábado passado, a seleção não prestava e Ronaldo era um badameco que merecia a expatriação. Após o jogo de sábado, a seleção passou a ser a maior, e até foi celebrada nos Marqueses de Pombal da pátria. Ronaldo, esse, deixou de ser um traidor e foi transformado numa espécie de Padre António Vieira do Quinto Império em chuteiras. A vitória no Europeu "está no papo", garante-me a D. Laurinda, a mesma que, há dias, comentava os trajes das "galdérias que cansam o homem".  

Quer isto dizer que não tenho esperança na conquista do Europeu? Pelo contrário, tenho muita esperança. A diferença está no método. Não acredito em quintos impérios, negros ou luminosas. Acredito em factos. E os factos dizem uma coisa: Portugal é - finalmente - um adulto nestas coisas dos Europeus e Mundiais de futebol. Brasil, Alemanha, Holanda, Itália e até Espanha andam nisto desde sempre, mas Portugal só conseguiu a regularidade dos grandes a partir de 1996. As epopeias de 66 e 84 foram raios de luz sem seguimento. Após o Europeu de 96, sim, conseguimos um ritmo de presença digno de registo e, neste momento, somos uma espécie de Chelsea dos Europeus e Mundiais. Tradução? Na última década e meia, atingimos uma regularidade impressionante, alcançando sempre os oitavos, quartos, meias e até uma final, mas, na hora h, esbarrámos na experiência acumulada dos históricos.  

É difícil furar o muro da história, é difícil vencer o pedigree dos grandes. Nas 22 edições da Ligas dos Campeões, apenas por duas vezes o troféu escapou aos gigantes que já tinham um passado glorioso. Foi em 1997, com o Borussia de Dortmund, e em 2012, com o nosso Chelsea. Mas, lá está, a regularidade acaba por dar os seus frutos. Depois de uma década a tentar furar o cerco da história, o Chelsea conseguiu conquistar a Liga dos Campeões. No processo, este clube ombreou com alguns clássicos (Real, Barça, Bayern) e até ultrapassou outros (Liverpool, Ajax, Anderlecht). Acredito que o mesmo pode acontecer com Portugal ao nível das seleções. A vitória da Dinamarca em 1992 foi fruto do acaso. Uma vitória de Portugal nos próximos anos será uma vitória do trabalho e da regularidade, esse dois pormenores que ficam entre o 8 e o 80 do costume.
Comentários 9 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
A Seleção tem as condições necessárias e suficient
A Seleção tem as condições necessárias e suficientes para disputar os lugares cimeiros da competição.
Atletas profissionaise e competentes no "ofício" e o País e a Federação a oferecer condições de trabalho sem qualquer reparo.
Assim sendo é legítimo que Portugal e a sua população mereçam da parte da Seleção a retribuição e o empenho no objectivo de chegar aos lugares cimeiros e até de levar de vencida a competição.
Um País também precisa de vitórias: é assim na História passada e vai continuar a ser assim no Futuro!
Re: A Seleção tem as condições necessárias e sufic Ver comentário
Re: A Seleção tem as condições necessárias e sufic Ver comentário
O terceiro pormenor; CR7.
Estou inteiramente de acordo com o que escreveu Henrique Raposo na sua crónica, até nos pormenores; uma vitória de Portugal será uma vitória do trabalho e da regularidade. Contudo é preciso a estes acrescentar o terceiro pormenor, aquele que poderá ser o determinante; o CR7. Todos os atletas que entram em campo têm o maior empenho, mas é justo dizer que há um com qualidades muito acima da média dos restantes e esse é o terceiro pormenor que pode conduzir ao sucesso. É preciso não esquecer que os restantes pormenores também são regra na concorrência de qualidade.
HR
Grande sova e mais não digo!
Foi preciso falar de futebol...
... para reunir consenso. Das duas uma, ou o HR ou os comentadores só percebem mesmo de futebol.
Só uma correcção: a vitória da Grécia no Europeu também foi obra do acaso. Do acaso e da nossa sobranceria.
henrique
és a maior melga que há! não há paciencia para te aturar! de uma vez por todas
Re: O Quinto Império em Chuteiras
Colocar o V Império como tema secundário de uma futebolada, roça a heresia...
Re: O Quinto Império em Chuteiras
Este senhor até parece que descobriu a polvora.....Só ele é que vê o ronaldo a jogar muito bem nos primeiros 2 jogos...... Neste ultimo jogo jogou e marcou porque teve espaços e foi mais jogador de equipa..... se jogasse sempre assim era o melhor... Agora quantas vezes as suas exibições roçam o mediocre?.... e quando isso acontece não s diz nada para não ofender o menino?!...
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub