4
Anterior
A história, a memória e o dia-a-dia
Seguinte
O Manolo, o afecto, a memória
Página Inicial   >  Blogues  >  Bitaites e Bicuaites  >   O problema das leituras rápidas

O problema das leituras rápidas

|

Bitaites  


Como já aqui o disse, compro "A Bola" às terças-feiras, apenas para ler a crónica do Miguel Sousa Tavares, coisa séria. Contudo, por vezes, não resisto a passar rapidamente os olhos pela prosa do humorista de serviço - Fernando Guerra - que tem poiso mesmo ao lado: I enjoy a good laugh. E esta semana lá caí mais uma vez nessa tentação, devendo de resto confessar que me deliciei ao percorrer (muito a correr, é verdade) o seguinte texto:

"Pinto da Costa está carregado de razão: com ele os contratos são para cumprir... Hábil malabarismo retórico para justificar a preferência pelo treinador campeão (Vítor Pereira) e, ao mesmo tempo, com perspicácia e sólida experiência, acicatar a descontrolada vaidade de Luís Filipe Vieira, destacando-lhe ignorados atributos, com o nítido propósito de instalar a confusão na casa benfiquista. (Embora seja certo mesmo se por diversas vezes questionado sobre o assunto, só (se tenha pronunciado sobre ele) a seguir à confirmação da permanência de Luís Filipe Vieira no Benfica, que obviamente lhe agrada. (Porque Pinto da Costa) deseja que o presidente do Benfica se mantenha ao serviço dos encarnados por muitos anos, os suficientes para atacar a empreitada que adeptos portistas mais ousados imediatamente lhe sugeriram após a certeza da conquista de um título apenas possível pela infinita bondade do (mesmo) Luís Filipe Vieira. Que, ao avançar para a sua décima-primeira" (ou décima -segunda, já nem sei) " temporada, passa a ser dos presidentes com pior registo na rica história do emblema da águia, para não dizer o pior. ( ... ) Argumentam no entanto os seus apoiantes que ele gere bem o clube. Pudera, é o mínimo que terá de exigir-se a um (dirigente) com tantos anos de carreira. Gerir bem, é a base, o suficiente para quem, não estando habituado ao sucesso, se contenta com uma 'boa classificação', mas francamente de menos para quem só vislumbra um lugar que o realize, o primeiro. Ora Luís Filipe Vieira, como se verifica até pelo seu repetido discurso de desculpabilização quando a derrota lhe bate à porta, não reflecte esse espírito. (Mas) os dados estão lançados e pouco devem entusiasmar a nação benfiquista. ( ... ) Sendo que Pinto da Costa descobriu (aí) o trunfo que lhe faltava na consecução do objectivo supremo que é, depois de ultrapassá-lo em troféus europeus, roubar ao Benfica a liderança na lista de vencedores de Campeonatos Nacionais. Porque é essa relação - Campeonato/ Champions - que gera prestígio e riqueza". Etc. etc. etc.

... Só que, e é esse o problema das leituras rápidas, enganei-me. Porque, em vez de Luís Filipe Vieira, aquilo que o referido humorista escreveu foi ... Jorge Jesus! Mea-culpa, mea-culpa, só no final me apercebi disso. Se bem que, Luís Filipe Vieira e Jorge Jesus ou Jorge Jesus e Luís Filipe Vieira seja vice-versa ou versa-vice. Um vice que aliás fica muito bem ao Benfica.

1. Quanto aos 23 para o Europeu: bom, cada um faz o pão com a farinha que tem mas - e aqui trata-se apenas da minha opinião, como é óbvio - jogadores de verdadeiro nível europeu, entre os seleccionados, não temos mais do que nove ou dez: Rui Patrício, Pepe, Bruno Alves, Fábio Coentrão, Raúl Meireles, João Moutinho, Quaresma, Nani, Ronaldo, penso que é tudo. Os restantes são de nível médio e, alguns, nem me parecem lá perto, como nos casos (por exemplo) de Eduardo, Rúben Michael, mesmo Veloso, Carlos Martins, o actual Varela, Postiga, o próprio Hugo Almeida, e mais um ou outro, já sem falar em Miguel Lopes e Nélson Oliveira, acabados de chegar. Quer dizer: temos um bom guarda-redes (Rui Patrício), uma boa defesa, com Bosingwa (que infelizmente não está), Pepe, Bruno Alves, Fábio Coentrão, uma linha média com apenas dois craques (Meireles e Moutinho) e um ataque, esse muito bem ou mesmo excepcionalmente servido nas alas (Ronaldo, Nani e Quaresma) contudo sem um ponta-de-lança minimamente à altura de um Mário Gomez, um Llorente, um Waine Rooney, um Villa, até um Dzeco, e por aí fora. Faltando (ainda na minha opinião, repito) o já referido Bosingwa, Hugo Viana e - porque não? - Liedson. Pelo menos esses três. E Quim, é claro: de resto, como trocar um guarda-redes que acaba de cumprir, e com destaque, um longo e muito exigente campeonato, por um suplente que apenas terá jogado, enquanto titular, duas ou três vezes esta época?!

Prognóstico? Se passarmos a fase de grupos, já será excelente. Mas, apesar da competência, e pulso, do Paulo Bento (que daqui saúdo), sinceramente não creio.

2."O Jogo": "FPF fecha a porta ao alargamento". Mas o autor da (mais do que demagógica, perigosa) promessa (que aliás lhe permitiu chegar ao lugar a que chegou) não se demite: corajoso mas não temerário, este Mário Figueiredo! Só que ele deve sentir-se tão realizado naquele seu presidencial cadeirão da Liga que quase dá vontade de perdoar-lhe ...

3. Política, agora. Título do "Público": "Passos Coelho nega 'estreitas relações políticas' de Relvas e Silva Carvalho". Texto de abertura da notícia, porém: "Passos Coelho não tem conhecimento de qualquer 'estreita relação política' entre Miguel Relvas e Jorge Silva Carvalho". Mas afinal Passos Coelho "nega" ou "não tem conhecimento"? Já vi: vou ter de oferecer um dicionário de português ao autor da notícia! E nem precisa de ser dos melhores.

4. Na semana passada, o mesmo Relvas negou (mas negou de facto, e por escrito ainda por cima) "ter qualquer ideia de receber mensagens escritas via telemóvel e resenhas diárias da imprensa nacional e internacional, para além de nomes de funcionários dos serviços de informação que deveriam ser despromovidos, remetidas por Silva Carvalho". Só que entretanto já admitiu tê-las recebido. Questão: que irá pois Passos Coelho fazer, ele que garantiu há dias que, "quem mentir, sai"? Boa pergunta, dirão. Mas será tudo: amanhã já ninguém se vai lembrar desta aldrabice.

5. "Correio da Manhã": "PJ apanha líder da Máfia italiana". E logo adiante: "A operação das autoridades policiais estava ainda a decorrer à hora do fecho desta edição". Por este andar, qualquer dia o "Correio da Manhã" sabe as notícias da polícia mesmo antes delas acontecerem! Boa malha, sem dúvida, que um certo império tece ...


Bicuaites

1. Fernando Gomes, presidente da FPF: "O flagelo dos salários em atraso não é de todo desejável".

Tudo bem. Mas, se assim acha (aliás La Palice não acharia outra coisa) o melhor mesmo é dirigir-se à Federação e exigir ao seu presidente medidas imediatas para acabar de vez com essa bandalheira. Tá bem?

2. Fernando Oliveira, presidente do Vt. Setúbal: "Será uma tarefa hercúlea conseguir inscrever a equipa".

E depois dela inscrita, os salários que se f ...

3. Título d'"O Jogo": "Vítor Pereira agradece título em Fátima".

Depois do Papa, Nª Senhora! Mas fica ainda a faltar ir ao céu agradecer a Deus Nosso Senhor himself ...

4. Título do "Correio da Manhã": "Estoril-Praia recebido na Câmara de Cascais".

É a vantagem de Cascais não ter rio.

5. Miguel Lopes, lateral convocado por Paulo Bento para o Europeu: "Ainda hei-de ser campeão. Se não for no FC Porto, será noutro clube".

Está visto: se não regressar ao Dragão, emigra.

6. Roberto Mancini: "Gostaria de conquistar a Liga espanhola mas também de ser campeão em Portugal à frente do Benfica".

Perdão, "ser campeão em Portugal à frente do Benfica" é o FC Porto.

7. "Público": "Zona euro afirma vontade ' inabalável' de manter a Grécia na moeda única".

"Correio da Manhã": "Europa já admite saída da Grécia".

Vejam lá se se entendem, por favor, ok?

8. Ainda no "Público": "Irão reabre diálogo sobre programa nuclear mas recusa fazer concessões".

Como diria o caro Sir Humphrey: "a novel concept" de diálogo, sim senhor.

9. Câmara de Loulé: "A Câmara de Loulé perdeu 85,2 milhões de euros em IMT nos últimos quatro anos".

É natural: foi o que ganhou a mais nos anos anteriores.

10. A terminar, o "Público" de novo, na hora da entrega do Prémio Pessoa 2011 a Eduardo Lourenço: "Longa vida ao Prémio Pessoa 2011 para que nos ensine a voltar ao sonho".

Estou a ver: lá vamos nós para Alcácer-Kibir outra vez ...

 

 

Do poema "Canção" ("Dois poemas para Christina Rossetti"), de Manuel Bandeira:

Em minha sepultura,

ó meu amor não plantes

nem cipreste nem rosas

nem tristemente cantes;

Sê como a erva dos túmulos

que o orvalho humedece.

E, se quiseres, lembra-te;

se quiseres, esquece.


Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
Impressionante desfaçatez!
Impressionante, a desfaçatez deste artista. Foi apanhado nas escutas do Apito Dourado a combinar uma notícia falsa com o Pinto da Costa (www.youtube.com/watch?v=iLpgst6hll8), mas não se coíbe de vir para aqui criticar jornalistas. Este artigo também foi ditado pelo papa, Tavares Teles?
O espertalhão
"- Parece que estão todos contra mim. Até o teu colega Tavares Teles me vigarizou em mil
contos. Disse que ia escrever o livro da minha vida, pediu o adiantamento e o livro foi um ar que
se lhe deu..."
Fernando Gomes, bi-Bota de Ouro. No livro "Golpe de Estádio", de Marinho Neves.
anti-corrupcao.150m.com/Golpe-de-estadio-%20Marinho%20Neves-JP.pdf

www.youtube.com/watch?v=iLpgst6hll8

É fartar, vilanagem! Parabéns ao Expresso online!
ehehhehe
O Bi-bota de ouro ficou a arder...

Ao Tavares deve-lhe ter sabido a pato!!!!!

O expresso mostra aqui uma vez mais em como entre o que se prega e o que se pratica vai uma grande diferença.
Santa Casa
Mas agora o Expresso também dá guarida a "jornalistas" sem coluna vertebral? Será que neste caso ele está a pensar pela sua própria cabeça ou foi mais uma encomenda como aquelas que fazemos no McDonalds? Este garçom é mais uma anedota da nossa comunicação social, e o pior é que lhe falta vergonha e ele pensa que a tem. É mais um ressabiado e é pena que um jornal de prestígio o deixe debitava alarvidades sobre jornalistas no sentido lato do termo.
Comentários 4 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub