191
Anterior
Para o precipício! Em frente, marche!
Seguinte
O Orçamento mais estúpido do mundo
Página Inicial   >  Blogues  >  Keynesiano, graças a Deus  >   O menino que Gaspar não conhece

O menino que Gaspar não conhece

|

Supermercado do centro comercial das Amoreiras, fim da tarde de terça-feira. Uma jovem mãe, acompanhada do filho com seis anos, está a pagar algumas compras que fez: leite, manteiga, fiambre, detergentes e mais alguns produtos.

Quando chega ao fim, a empregada da caixa revela: são 84 euros. A mãe tem um sobressalto, olha para o dinheiro que traz na mão e diz: vou ter de deixar algumas coisas. Só tenho 70 euros.

Começa a pôr de lado vários produtos e vai perguntando à empregada da caixa se já chega. Não, ainda não. Ainda falta. Mais uma coisa. Outra. Ainda é preciso mais? É. Então este pacote de bolachas também fica.

Aí o menino agarra na manga do casaco da mãe e fala: Mamã, as bolachas não, as bolachas não. São as que eu levo para a escola. A mãe, meio envergonhada até porque a fila por trás dela começava a engrossar, responde: tem de ser, meu filho. E o menino de lágrima no canto do olho a insistir: mamã, as bolachas não. As bolachas não.

O momento embaraçoso é quebrado pela senhora atrás da jovem mãe. Quanto são as bolachas, pergunta à empregada da caixa. Ponha na minha conta. O menino sorriu. Mas foi um sorriso muito envergonhado. A mãe agradeceu ainda mais envergonhada. A pobreza de quem nunca pensou que um dia ia ser pobre enche de vergonha e pudor os que a sofrem.

Tenho a certeza que o ministro Vítor Gaspar não conhece este menino, o que seria obviamente muito improvável. Mas desconfio que o ministro Vítor Gaspar não conhece nenhuns meninos que estejam a passar pela mesma situação. Ou se conhece considera que esse é o preço a pagar pela famoso ajustamento. É isso que é muito preocupante. 


Opinião


Multimédia

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 191 Comentar
ordenar por:
mais votados
Dica
A história é triste mas aqui fica uma dica para aquela senhora: não vá ao supermercado das Amoreiras. É um dos mais caros de Portugal. Certamente conseguiria levar essa conta toda de fosse a um supermercado tipo Pingo Doce, Continente ou Jumbo, comprando de preferência marcas brancas.

Eu sei que os tempos estão complicados, eu também passo por isso, mas são as opções que eu faço actualmente. A qualidade é a mesma e não se está a comprar a marca.

Cumprimentos
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Um pacote de bolachas em 70€ de compras ...
Re: Um pacote de bolachas em 70€ de compras ...
Re: E se fosse você no lugar dessa mãe?
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Re: Dica
Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Esta história de Nicolau Santos é triste, sim existem muitos problemas no nosso país, muitos de nós sente na pele a crise e terá que mudar os seus hábitos de consumo devido a redução do rendimento disponível.

O que me deixa perplexo é chamar Vítor Gaspar neste artigo, pelos vistos os males deste país são culpa do Sr. Ministro das Finanças, até a falta de dinheiro para comprar bolachas.

No ultimo ano e meio Nicolau Santos revela sinais de profunda discordância sobre o caminho traçado por este Governo para ultrapassar a crise, na sua leitura sábia e iluminada a austeridade e o aumento de imposto não vão resolver os problemas do país, ajustar o país a sua realidade pela via da quebra do rendimento disponível é um disparate.

Não deixa de ser irónico o episódio relatado no seu artigo, já que um dos nossos erros cruciais foi alimentar uma capacidade de consumo insustentável, em primeiro com o aumento dos salários sem ter em conta a produtividade, a seguir apareceu o dilúvio do crédito fácil e barato, o consumo de bens não essenciais no nosso país foi anormal durante sucessivos anos, alimentou-se artificialmente o acesso a bens sem correspondência com o aumento da riqueza produzida pelo país.

Nicolau Santos nunca referiu isto nas suas crónicas ou artigos, nunca reflectiu sobre os verdadeiros motivos da nossa crise, o querer viver bem, ter um país do 1º mundo são o nosso desígnio nacional mas para lá chegarmos temos que produzir mais e com maior qualidade.
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Re: Bolachas...!?!!?!?!?!?!?!?
Enfim...
Quando o menino souber...
... o nome dos três reis magos e que um se chama Gaspar...
É mais um Português que não vai acreditar neste presépio que é Portugal com a politica imposta pelos tais magos que nos andam a Governar.
Re: Quando o menino souber...
O monstro das bolachas
Mudei pronto, mudei. O sentimento em relação a si, obviamente. Tinha desprezo. Tinha, porque agora não o sentimento que me transmite. Vejo-o utilizar processos abjetos, indigentes, da pedinchice com carga dramática: “tenho 2 crianças e mulher entrevada”; ou o clássico: “é p’ra comprar leite”

O que você faz para adesões à “causa”. Faltando os argumentos de gente decente, recorre ao choradinho do “agarrado”, desesperado por um “chuto”.

E é tal a consciência de classe que dá exemplo em estabelecimento pretensioso. Sim, porque o “Pão de Açúcar” das Amoreiras tem pretensão a “gourmet”. Gente com dificuldades vai ao Minipreço. Locais que não frequenta e gente com quem não se dá.

  Será que nos vai passar a relatar dramas da Quinta da Marinha. “Mamã, este ano não vamo p’rá nêve?” – Pergunta a criança (que o Gaspar também não conhece) com os olhos marejados de lágrimas. A pobre mãe – Pilita de Mascarenhas -, esconde o rosto, envergonhada, “a culpa é dos neoliberais, Martim” – Sim, porque toda a família é tradicionalmente socialista - e, enquanto arranca com o Audi (modelo do ano passado), recorda a maldade do ajustamento.

Pobre Pilita, tão cheia de saudades do tempo que passou. Vai votar Seguro. Um querido que já prometeu mandar todas as famílias p’rá neve. E trocar de carro, que o Audi já não se pode ver, é um autêntico pesadelo. E já agora, por pesadelo. Não é que tive um em que me via a guiar um Clio.

Pensa a Pilita a caminho do super das Amoreiras

Re: O monstro das bolachas
Re: O monstro das bolachas
Re: O monstro das bolachas
Re: O monstro das bolachas
Re: O monstro das bolachas
Resposta a esta critica
Re: Resposta a esta critica
Re: Resposta a esta critica
Re: Resposta a esta critica
Re: Resposta a esta critica
Sinceramente...
Nem Gaspar, nem Merkel, Barroso, Draghi...
Somos governados por gente cujo último contacto com a realidade dos povos que governam deve ter sido há muitas décadas, se alguma vez o tiveram.
Re: Nem Gaspar, nem Merkel, Barroso, Draghi...
O Natal está a chegar...
O seu texto é dos melhores que já li sobre o "brutal aumento de pobreza" que já há em Portugal. Tenho vergonha de as PPP serem intocáveis porque têm direitos adquiridos mas de as pessoas serem tratadas de forma impiedosa porque não têm direitos. Nem adquiridos nem de nenhum tipo.
Este ano o Natal vai ser especialmente duro para quem tem coração.
Re: O Natal está a chegar...
Re: os políticos também fazem comentários tais
Re: os políticos também fazem comentários tais
Re: O Natal está a chegar...
Re: O Natal está a chegar...
Re: O Natal está a chegar...
Vergonha
Quem devia enrubescer de vergonha são aqueles que criaram as condições para atirar para a pobreza esta e muitos outros pais de meninos, pessoas que não conhecem nenhum dos políticos portugueses e alguns jornalistas que calam a fome que grassa um pouco por todo o lado. A autor digo que saia da capital do reino onde vive, percorra o interior do país e vai ficar siderado, pois bifes e bolachas são produtos que a maior parte dos meninos não sabem o sabor.
Alternativa
Caro Nicolau Santos,

Mais uma semana, mais uma crítica….

O senhor é diretor num jornal que desafiou os seus leitores a simularem o OE 2013.

O senhor com tantos conhecimentos macroeconómicos, aceita o desafio que lançou aos seus leitores?

Publique a sua proposta de orçamento para 2013.

Acredite que alguns dos seus leitores vão gostar de ver.

Outros, os que adoram a crítica, vão ficar desiludidos, com a sua alternativa, ou a falta dela.
Re: Alternativa
Re: Alternativa
Para onde caminhamos???
Para o precipício, respondem muitos...´

Caro Nicolau, factos como esse acontecem todos os dias por este querido Portugal.
Resido no grande Porto, não sou um frequentador muito assíduo dos hipermercados, mas já assisti a cenas muito semelhantes e olhe que começa a ser com alguma frequência; Ninguém se comove, ninguém faz nada, ninguém se revolta; Por outro lado pensamos, cá se vai andando com a cabeça entre as orelhas... Até quando?
Re: Para onde caminhamos???
Re: Para onde caminhamos???
Só desejo metade do que essas familias passam
Aos familiares aqui do moncarapacho , do caprylm56 , etc ...

Costuma-se dizer que falar de barriga cheia , é fácil , mas costuma-se dizer , a procissão ainda vai no adro , por isso ocupem o tempo a gozar com quem nem consegue o basico , a gozar com o andor , a cuspir para o ar , que isto ainda vai no início.

Aconselhava-se algum pudor , mas quem não tem vergonha todo o mundo é seu.
Re: Só desejo metade do que essas familias passam
Aluno com fome desmaia nas aulas
Um aluno do 11.º ano desmaiou durante uma aula por ter fome, numa escola em Lisboa. O caso foi denunciado pela professora no Facebook horas depois do ocorrido, gerando uma onda de consternação.

Já se tinha queixado no estabelecimento de ensino de não ter dinheiro para pagar o passe, tendo em conta que ruma diariamente do Barreiro a Lisboa, e de outras carências. Porém, esta terça-feira, as dificuldades do jovem aluno atingiram um patamar gritante, que só tinha similar na Grécia: desfalecer em plena sala de aulas porque ainda não tinha comido nada.

O episódio foi relatado, ao início da tarde, no facebook, por Anabela Rocha, professora que leciona naquela escola, pulverizando-se pela rede social e por vários blogues. Ao JN, salvaguardando a identidade do jovem, a docente contou que a escola tem tentado ajudar o aluno, que já conta com mais de 18 anos, mas que esse apoio se cinge neste momento ao transporte.

www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Lisboa&Option=I nterior&content_id=2899261
Re: Aluno com fome desmaia nas aulas
As compras que Nicolau não conhece
Caro Nicolau. Para a próxima vez que inventar uma história, considere que fiambre, detergentes, manteiga e 'mais alguns produtos' não custam 84 euros. Para fazer compras com 84 euros é preciso comprar muito mais, ou coisas muito mais caras. Vê-se mesmo que a história é inventada e mais: que Nicolau nunca pôs os pés num supermercado.
Re: As compras que Nicolau não conhece
Quase 100 mil beneficiários perderam o abono de fa
Quase 100 mil beneficiários perderam o abono de família

Entre Agosto e Setembro deste ano, 97 mil crianças e jovens perderam o abono de família, revelam os dados do Instituto da Segurança Social (ISS), avançados pelo Público.

Ao contrário do que era previsto – a entrega da prova escolar era feita até 31 de Outubro -, este ano, o prazo terminou a 31 de Julho, sem aviso prévio.

A situação é denunciada pela Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap). Desde o início do ano, o número de titulares beneficiários do abono de família baixou de 1 203 138 em Agosto para 1 105 299 em Setembro.

Em declarações ao mesmo jornal, Albino Almeida, presidente da Confap, diz que esta quebra está relacionada com a suspensão temporária do pagamento do subsídio, decorrente das alterações aplicadas pelo ISS.

Com o objectivo de “adequar o pagamento das prestações ao calendário escolar”, o ISS alterou o fim do prazo, antecipando três meses. O que obrigaria os titulares do abono com mais de 16 anos a provar que estavam matriculados num estabelecimento de ensino.

Na altura, Albino Almeida alertou o governo que esta alteração foi feita em época de férias e que a maior parte dos alunos do 9º ano ainda não sabia que escola iria frequentar no próximo ano lectivo, pelo que seria impossível cumprir com as novas regras.

...

www.ionline.pt/portugal/quase-100-mil-beneficiarios-perderam-abono-familia
Re: Quase 100 mil beneficiários perderam o abono d
O fado da Coitadinha!
Se Nicolau Santos queria que as lágrimas chegassem aos meus olhos, não conseguiu atingir os seus objectivos.

Escusa de escrever um artigo sobre a família que divide uma sardinha por 3.

Também não vai atingir o efeito pretendido.

E porquê?

Não que a história não seja confrangedora!
Mas Nicolau Santos é um dos principais dirigentes do maior jornal de Portugal e durante anos, onde a situação que descreve foi lentamente cozinhada, o seu jornal nada fez para alertar para o desastre que se avizinhava.

Aliás, o grupo de que é um dos responsáveis até despediu um jornalista quando este, no longínquo ano de 2006 escreveu na revista exame: O BPN é um caso de polícia!

Por isso caro Senhor Santos, se você assistiu a essa cena, deveria ter sido você a pagar o pacote de bolachas, porque você teve responsabilidades directas no que estava a acontecer! Coisa que o Ministro Gaspar não teve!
Re: O fado da Coitadinha!
ALMOÇA NO AMOREIRAS !!!
Mais um censurado
Por algum socialista pidesco.
Comentários 191 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub