4
Anterior
O problema das leituras rápidas
Seguinte
Uma réplica da bengala de Camilo
Página Inicial   >  Blogues  >  Bitaites e Bicuaites  >   O Manolo, o afecto, a memória

O Manolo, o afecto, a memória

|

Bitaites


Morreu um grande amigo, Manuel Ollero Vidal, o Manolo.

Conheci-o há muitos anos, estava ele, com Marcelino de Brito e o seu inseparável companheiro de lides sportinguistas, José Manuel Torcato, em campanha (justamente) para a presidência do Sporting. Depois, através dele, tive ocasião de conhecer outro grande amigo - o Vítor Seijo - o Germano de Figueiredo, um dos maiores jogadores de sempre do futebol português e grande figura humana, o Fanã, o Romplius, o Sebastião, o pessoal do Atlético em geral, enfim, muita gente boa. E ao Manolo (e ao Vítor e ao António da Mó, curiosamente todos galegos) fiquei a dever, para além do resto, todo o apoio que imediatamente se dispuseram a dar-me, caso eu precisasse, numa altura em que tive de ir viver para Londres e Bruxelas durante mais de um ano, a fim de poder cuidar da saúde de um familiar meu muito próximo, que felizmente ultrapassou por inteiro o mal de que padecia. Coisa que nunca esqueci nem esquecerei, por mais que esses amigos tenham já para sempre partido, o Manolo agora. Mas é assim: quando se chega a uma certa idade, o nosso carnet de endereços e telefones mais parece um cemitério. Restando porém a memória. E o inalterável afecto.

1. Se, por causa de Timor, avançámos em tempos contra a Indonésia de punho erguido, é de mão estendida que Cavaco foi agora a Jacarta! Mas já dizia o poeta: mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Ou, diria eu: mudam-se os tempos, mudam-se as necessidades. Necessidades a que também chamam aliás, em jargon político, Negócios Estrangeiros ...

PS. Segundo leio, "Timor discute o que fazer com os seus nove mil milhões de dólares (do petróleo)". Mas Cavaco também tem solução para isso: uma mão estendida a Jacarta, a outra a Dili, evidentemente.

2. Portugal: o que dizer de um país que tem Miguel Relvas como o nº2 do Governo? Num casting, não passaria, de certeza. Numa audição, talvez; o Reagan, por exemplo, passou. E pior actor do que ele, não vejo. Nesse aspecto, Relvas é melhor.

3. Duarte Lima: se a ganância, essa coisa repugnante, viscosa, venenosa matasse, já estaria morto há muito tempo. Explicação para uma tal ganância? Sinceramente, não sei lá muito bem. Embora tenha uma desculpa: não sou Shakespeare.

4. Sobre o caso-Freeport, o "Correio da Manhã" não vai por quatro caminhos e sentencia, peremptório: "Sócrates recebeu dinheiro"! Contudo, da leitura da notícia, o que resta é que - segundo um tal Alan Perkins - "Charles Smith e Manuel Pedro foram usados para fazer pagamentos ilícitos", referindo o mesmo senhor "reuniões onde estes factos terão sido mencionados". Para além de que Charles Smith lhe terá dito que "a Freeport fez pagamentos para obter a licença do outlet a pessoas que recebiam em nome de Sócrates". Sócrates que, por sua vez, ameaça processar quem usou ou quem usar o seu nome". E, em grosso, é isto, quer dizer, nada ou praticamente (do ponto de vista jurídico) nada. Sendo que, de facto, o único processo em que o ex-primeiro-ministro está a ser julgado e já foi condenado é este: o do "Correio da Manhã", que pratica, sempre praticou, e com que afinco, a velha e relha teoria segundo a qual, se as provas não provam aquilo que o jornal quer provar, são as provas que estão erradas. Ora, ao que parece, isso vende. E a empresa vinga...

5. No mesmo "Correio da Manhã", outro título muito interessante: "Zita Seabra mais próxima da Opus Dei".

... E lá me vem à ideia a conhecida expressão francesa: "il (no caso, elle) revient de loin". Que não foi de resto criada para a dita Zita. Mas lá que podia ter sido, isso podia.

6. Ainda mal tinha sido eleito e nem sequer empossado, François Hollande fez de pronto reentrar no vocabulário europeu, e de resto não só, a palavra crescimento. E nem precisou para isso de por saltos altos: bastou-lhe dizer o evidente, colocando pela primeira vez Merkel em alguma dificuldade perante os seus (se assim posso com total propriedade chamá-los) parceiros. E felizmente que ninguém, por causa disso, gritou: ela vai nua! Tanto mais que aqueles casaquinhos e aqueles pantalons ficam-lhe tão bem ...

7. Robben. Se eu fosse treinador de futebol, em equipa minha não jogava. E não por ter falhado aquele penalty (contra o Chelsea). Mas porque só pensa nele, não passa a bola a ninguém, quer aparecer de qualquer maneira nas capas dos jornais do dia seguinte como o maior, o salvador, etc. etc. etc. Repito: numa equipa minha, não jogava. Nem ele, nem quem joga como ele. Embora haja por aí muito craque, ou pseudo-craque, que o faça. Um conselho? Olhem para o Messi e aprendam a jogar à bola, pensando antes de mais na equipa. Porque, achem esses craques, ou pseudo-craques, o que acharem, não são coisas incompatíveis, longe disso.


Bicuaites

1. Título da "Sábado":

"Vítor Gaspar conta a crise às crianças".

Só se for.

2. O mesmo Vítor Gaspar:

"Eu não minto nem ludibrio os portugueses".

Engana-se é como o caraças.

3. Filipe Luís, na "Visão":

"Governo e troika estranham aumento do desemprego. Estão a gozar ou são só incompetentes?".

Quanto à troika, não sei. Quanto a Vítor Gaspar, nem sequer acredito que ele saiba o que é gozar.

4. Francisco Assis:

"O primeiro-ministro é alguém que acredita piamente numa versão extremista do liberalismo económico".

Passos perdidos ...

5. Miguel Sousa Tavares:

"Vem aí o segundo submarino e ninguém sabe o que fazer com ele. Se já não há dinheiro para fazer andar o primeiro, o que fazer com o segundo?".

Eles não saberão nadar, ó Miguel?

6. Título da revista do "Público":

"Madeira: pobreza, vergonha e medo". E adiante: "A dupla austeridade está a atingir a Madeira como um tsunami".

Será que o Jardim, à défaut de um bunker, não quererá os submarinos?

7. Do "Público":

"Apesar de os medicamentos estarem cada vez mais baratos, os encargos dos cidadãos com remédios voltaram a aumentar no primeiro trimestre deste ano".

Pergunto: mas onde é que está a notícia?! Ainda se fosse ao contrário.

8. Título do "Correio da Manhã":

"Ladrões de fruta vendem na rua".

E - como se lamentaria um dono de grande superfície - uma vez que compram de borla, os malandros, para eles é tudo lucro!

9. Título do "Correio da Manhã":

"Treze polícias acusados de chefiar rede criminosa".

Alegadamente criminosos mas seguramente nada supersticiosos, os fulanos!

10. Conceição Bessa Ruão, deputada do PSD:

"Será que há mulheres de outras nacionalidades que abortam em Portugal, porque o aborto é gratuito?".

Mas é claro: é pô-las na fronteira e chamar a polícia. Ou melhor: chamar a polícia e pô-las na fronteira. Se a polícia não as prender entretanto, é claro.

11. Título do "Público":

"Saída da Grécia do euro 'passou de impossível a altamente improvável e indesejável".

Pelo visto, a sra Merkel ainda não decidiu o que será melhor para a Alemanha ...

12. Título (ainda) do "Público":

"Mladic (o antigo comandante do Exército sérvio, acusado de crimes contra a humanidade) enfrenta a justiça: 'Espero que Deus tenha reservado o pior para ele'".

Sim, pior, muito pior para ele - sejamos justos - do que aquilo que foi reservado para as vítimas.

13. Tom Ford, estilista norte-americano:

"Talvez os homossexuais consigam projectar certos sentimentos acerca da vida que os heterossexuais nem sequer imaginam".

E se calhar nem querem.

PS. Título do "Público":

"Relvas nega ter feito pressões, PÚBLICO mantém que existiram".

Caro leitor (e, já agora, caro eleitor), em quem é que acredita?

PS 2. O presidente do Benfica continua pelo visto a pensar que é impune (atenção, eu não disse inimputável) podendo dizer tudo o que lhe vem à cabeça, ou à cabeça de quem lhe escreve os discursos. Desta vez (leio n'"O Jogo"), para além de outros mimos, "chamou corruptos aos dragões e ladrão a Pinto da Costa". Pelo que lá irá, com certeza ter de desembolsar mais um euro ...


Frei Bento Domingues:

"Fátima só pode ser considerada ópio dos peregrinos se eles se contentarem com a 'procissão do adeus' à Virgem sem a promessa de se entregarem à alteração do meio em que vivem. Sem esse propósito, terão sujado os pés e os joelhos inutilmente. Marx não criticava a religião por ser o 'suspiro da criatura oprimida, o ânimo de um mundo sem coração e a alma de situações desalmadas', mas por se tornar um refúgio, em vez de um princípio de vida e de acção".

Abençoado frei Bento: que as mãos nunca lhe doam.


António Tavares Teles escreve de acordo com a antiga ortografia


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
Cãozinho do Pinto da Costa
Será que esta crónica também foi ditada pelo Pinto da Costa?
www.youtube.com/watch?v=iLpgst6hll8
Não esquecer quem é este senhor...
"STANDARD & POOR´S"
LIXO.
kácus
ui
Este gajo é mais esperto que o Vieira!!!

Ao Vieira há quem escreva os discursos. Nada de anormal, o memso fazem ao Passos Coelho e tantos outros.

Agora a este escriba, só lhe ditam, o gajo sabe, têm é de lhe dizer o que escrever.

Ah expresso que dás guarida a enganadores deste calibre.
Vergonhoso!
Então o senhor ouve-se no youtube a combinar uma noticia com o Pinto da Costa, e imaginam-se as que não foram gravadas, e vem falar de "de quem lhe escreve os discursos" sobre o presidente do SLB que disse a verdade que a CS tanto trabalha para esconder!

TENHA VERGONHA!
Comentários 4 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub