0
Anterior
Sete atletas dos Camarões desaparecidos
Seguinte
Lolo, virgem sem medalha aos 30 anos
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Jogos Olímpicos 2012  >   O irmão mais novo é que paga a fatura

O irmão mais novo é que paga a fatura

Irmãos Brownlee sobem ao pódio, com o favorito Alistair a ganhar o ouro e o caçula Jonathan a ter de contentar-se com o bronze numa prova onde sofreu uma penalização desnecessária de 15 segundos e, no final, desfaleceu.
|
O espanhol Javier Gomez recebeu a medalha de prata
O espanhol Javier Gomez recebeu a medalha de prata / Tim Wimborne/Reuters
Jonathan desfaleceu no final da prova e foi assistido
Jonathan desfaleceu no final da prova e foi assistido / Hannibal/EPA

A corrida de triatlo teve uma proporção de interesse surpreendente. Milhares de pessoas que encheram as principais ruas de Londres à parte (com muitos portugueses à mistura, com cachecóis e bandeiras), era uma prova que tinha tudo para uma boa intriga de filme: dois irmãos dominadores a jogar 'em casa', uma dezena de aspirantes com potencial para fazerem uma surpresa, manobras de bastidores, acusações q.b. No final, ganhou Alistair Brownlee, o mais velho dos manos. E o mais novo, Jonathan, pagou a fatura. E de que maneira.

Clique para aceder ao índice do Dossiê Jogos Olímpicos 2012

Os Brownlee são uma espécie de atletas-modelo na sociedade britânica e só não têm a preponderância de um Bradley Wiggins ou de uma Jessica Ennis por terem um feitio mais reservado e serem menos exuberantes (ok, e porque a modalidade não é tão mediática). Filhos de médicos - a mãe também foi nadadora -, sempre tiveram grande propensão para os estudos, seja na parte das finanças ou na parte da fisiologia, e tornaram-se desportistas de eleição, tendo mesmo conquistado o 1.º e 3.º lugares na última etapa do campeonato do mundo, em Londres, no ano passado (o que lhes valeu o apuramento para os Jogos Ollímpicos).

Por isso, eram os alvos a abater e, em conferência, assumiam que não havia volta a dar: iria ser uma prova entre eles e o mundo. Mundo que, entretanto, fazia chegar aos ouvidos de todos um alegado acordo entre os britânicos e o eslovaco Richard Varga, especialista na parte da natação, para dar uma ajudinha no arranque. Os dados estavam lançados, faltavam os 1.500m de natação, 43km de bicicleta e 10km a correr.

Um pódio "esplanguês" feito a correr


A corrida começou e a tática dos Brownlee não demorou muito até ser revelada: ir para a frente, dominar a prova e lutar pelos dois primeiros lugares da prova. A natação correu razoavelmente bem, o ciclismo no mesmo registo, a corrida nem por isso, pelo menos para Jonathan - o mais novo dos irmãos foi penalizado em 15 minutos na transiçãoa para o último segmento por andar mais cedo do que previsto com a bicicleta. E a sua prova ficou logo aí condicionada.

"Quando olhei para lá e vi o número pensei que tinha sido o meu irmão, até pensei 'que idiotice, perder assim tempo'. Depois olhei para o meu braço e vi que afinal era eu...", lamentou. Mas o pior estava para vir. Sim, pior do que ver a medalha de prata (ou uma chegada ao mesmo tempo) perdida: Jonathan desfaleceu e esteve a ser assistido pelo corpo médico, algo que acabou por atrasar a cerimónia de entrega de medalhas.

João Silva, o português, ainda passou para o último segmento na primeira posição mas acabou por ceder e cair até ao nono lugar. Ao contrário do espanhol Javier Goméz, que conseguiu introduzir-se literalmente no meio do domínio Brownlee com a medalha de prata. Foi um pódio "espanglês", tal e qual como o filme. 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 0 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub