18
Anterior
Os gays valentões
Seguinte
Portuguese do it better (I): exportações
Página Inicial   >  Blogues  >  A Tempo e a Desmodo  >   O filme do Facebook derrota o Facebook

O filme do Facebook derrota o Facebook

Com "A Rede Social", Aaron Sorkin e David Fincher quiseram mostrar uma coisa: meus amigos, podem andar o tempo que quiserem no mundinho virtual, mas, no final do dia, o que interessa é aquilo que fazem na realidade, vá, "analógica".
|

I. Mais uma vez, David Fincher fez um grande filme. "A Rede Social" é uma espécie de thriller mental. A violência não aparece na forma de "aliens" ou numa caixa com a cabeça de Gwyneth Paltrow . Aqui, a violência surge apenas nas formas que ambição toma quando não tem um freio ético. E, apesar de este ser um jogo puramente mental ( ao contrário de outros ), Fincher consegue manter o ritmo narrativo impressionante, apoiado num trabalho notável da montagem. Não é de estranhar: Fincher é perfeito na formação dos ambientes, que, depois, são habitados e percorridos pelas personsagens. Ambientes claustrofóbicos, para sermos exactos. Não estamos, obviamente, na cidade sem nome de Seven, mas The Social Network também é uma fonte de intensa claustrofobia narrativa. Até porque Fincher não está muito interessado em descrever "social" e "realisticamente" Harvard e Boston. Este não é um filme sobre Harvard. É um filme sobre a claustrofobia da ambição pelo poder.

II. Mais: eu diria que este filme não é sobre o Facebook. Ou melhor, Aaron Sorkin (o argumentista) e David Fincher quiseram mostrar uma coisa: os meus amigos podem andar o tempo que quiserem no mundinho virtual, mas, no final do dia, o que interessa é aquilo que fazem no bom e velho mundo "analógico". A cena final é elucidativa a este respeito. A fuga da realidade (seja ela profissional ou sentimental) através da internet não consegue durar 24 horas por dia. Num dado momento, as pessoas têm de voltar à realidade, essa coisa áspera e que "aleija muito", para citar a minha querida avó. Por isso, parece-me que Leo Robson (TLS, 5 de Novembro) não apanhou bem o filme. "A Rede Social" não é a confirmação do legado de Sean Parker ("we lived in the country, we lived in the city, now we shall live on the internet"). Pelo contrário, "A Rede Social" diz-nos que continuamos e continuaremos a viver no mundo "analógico". O mundo virtual é uma ferramenta da realidade, não é uma realidade paralela.


Opinião


Multimédia

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 18 Comentar
ordenar por:
mais votados
Um filme para Sócrates:entre no "real"
Alguém diga ao lº Ministro que deixe o palanque,ponha os pés no chão e vá para casa.Saia da politica por uns tempos e o PS lá se há-de desenrascar,
A época até é boa: o Natal está à porta , o tempo é propício ao renascimento e à concórdia e Cavaco chega e sobra para tomar conta de qualquer ocorrência.
Re: Um filme para Sócrates:entre no
Mandá-los às malvas
Re: Um filme para Sócrates:entre no
Pela tacanhez de certas visões
Pela tacanhez de certas visões é que alguém propôs no século XXI que se fechassem as patentes, pois tudo o que podia ser inventado já o havia sido.
"Everything that can be invented has been invented."
Charles H. Duell, U.S. Commissioner of Patents, in 1899.

Estas mentes que nada mais vêem do que o seu próprio mundinho, representam muitas vezes um obstáculo ao desenvolvimento.

Continue a tratar o Facebook ou as redes sociais como mero divertimento de adolescentes, e talvez se surpreenda quando der consigo de fora de uma nova (e poderosa) forma de comunicar.

No fim do dia o que interessa são os resultados. Quando perder um emprego por não ter respondido a uma mensagem no twitter, talvez "acorde" para as novas ferramentas.

O mundo evolui.
Facebook, Twitter, LinkedIn...esta é a realidade actual, mesmo que lhe chame analógica.

A Verdade tem versões !!
Adorei o filme acima de tudo num aspecto de ser uma versão da "verdade" !! A verdade, verdade, nós sabemos quem a sabe. E que me "perdoi" Henrique Raposo ... "O mundo virtual é uma ferramenta da realidade, não é uma realidade paralela." Está muuuuito enganado !! O mundo virtual é sem sombra de dúvidas uma realidade paralela ;)
Caro HR
Está a ver no que deu mudar de tema?
Ninguém passa bola à sua visão socio-cinematográfica, por isso, há que retornar a escrever o que lhe diz a sua veia revolucionária anti-socas!

Cumps.
Só ?!
Só 3 comentários até agora ! O que está a dar a falar mal do PM e do governo ! Não se distraia, olhe o patrão !
Tudo a dormir na forma!
Com que então:

"no final do dia, o que interessa é aquilo que fazem na realidade, vá, "analógica""

"a violência surge apenas nas formas que ambição toma quando não tem um freio ético"

"É um filme sobre a claustrofobia da ambição pelo poder"

"Num dado momento, as pessoas têm de voltar à realidade"

e a esta hora só há 3 comentários? Mas que porra é esta?

Malta do Câmara Corporativa e demais funcionários públicos pagos para encherem as caixas de comentários dos jornais on-line de insultos aos comentadores ligeiramente desalinhados com o querido líder! Estão a dormir ou quê?

Então não vêm que o homem não está a falar de cinema? Não vêem que este gajo está a insultar veladamente o patrão! E vocês caem na esparrela?

Toca a mexer. Ainda vamos a tempo de lhe chamarmos neoliberal fascista anti-patriota bota-abaixista e amigo da Manuela Ferreira Leite (é melhor não que a Manuela agora parece que já é amiga) e outros nomes feios. Bora lá pá! Toca a despachar!
Não tem nada a ver com o assunto.
Será que o articulista já cumprimentou os seus colegas que vão para o olho da Rua.

Não é mais do que uma medida eficiente de "eliminação do Gorduras" e gestão eficaz da administração da Empresa.

Vá lá cumprimente e convença da bondade das medidas neoliberais!!

Isto não é demagogia, é realidade.

Há um limite que separa o interesse dos accionistas do bem estar das populações.
Mundinho Virtual: A Grande Célula Planetária...

Pensando bem: nem era para eu está expondo a minha inquietação sobre a vida real num tema de análise cinematográfica (porque meu mundo atualmente é totalmente virtual), mas como eu não gosto de pensar muito: continuarei, porque fiquei presa ao “freio ético” do escrito pouco analítico e muito mais constatativo!... Daí lembrei (por favor: deixe-me deixar o filme de lado) que nas células mais primitivas, encontram-se todas as formas de vida: dentre as mais complexas estruturas e as mais simples... estão as plantas e os insetos, inclusive nós supostamente seres humanos... Esses sistemas estão organizados de acordo com os padrões que têm em comum um único princípio basilar: a nossa ligação entre Uns aos Outros... Com isto: estamos vivendo em rede: uma eterna relação interdependente...

Tudo: em todas as dimensões biológicas, em todos os níveis políticos, econômico e cultural, em cada célula que pulsa em nosso corpo: à vida social depende desse conjunto para se sustentar e daí se construir e se constituir... Contudo isso também me constitui... realizando-me na vivência... que me tornará referência nos temas dos principais fatores da vida contemporânea...

Tem mais:...
Mundinho Virtual: A Grande Célula Planetária 2

Desconstruo-me, na História Ocidental Cientifica, em todos os vazios produzidos: cartesianamente!... Tento mostrar a Infinita necessidade em romper com os Velhos Preceitos da Ciência moderna, cujo sustentáculo sempre foi o insustentável sistema matemático cartesiano... Enfim, quero entender o quanto isto tem afetado a minha, a nossa saúde e, conseqüentemente, a Saúde Social do Planeta...

E, finalmente, a vida no Mundo Real somente estará repleta de significados quando constituirmos o Futuro sem esquecer do Passado... Ademais: nada de nossa vida “analógica” terá peso ou será contabilizado como lucro para as contas do Estado... Assim: seguiremos seguindo sem rumo!...

- A venda da alma -

A palavra "mercenário" soa-me bem. Não sei porquê.
Mas tem um significado altamente negativo e amoral.

Vender a própria alma, recebendo dinheiro, seria a ultima coisa que eu faria na minha vida. Amo ser honesto e humilde.
Tão paralela como...
a religião ? a economia ? o amor ?
O QUE EU FAÇO LÁ
Cultivo Marijuana no "Farmville" e vendo-a no "Mafia Wars".

http://oanaogigante.blogs...
Re: O QUE EU FAÇO LÁ
Re: O QUE EU FAÇO LÁ
Re: O QUE EU FAÇO LÁ
Comentários 18 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub